Pular para o conteúdo principal

BANCO DE BRASÍLIA DEIXA CLIENTES NA MÃO




Mesmo tendo um lucro de R$ 260 milhões nos 12 meses de 2017, ou seja, um valor 29,6% maior do que o mesmo período de 2016, com R$ 200,5 milhões, o Banco de Brasília proporciona gafes e leva seus clientes, mesmo que eventualmente, ao constrangimento. 

Ao passar o cartão de crédito, ou débito nas compras de produtos ou serviços muitos dos servidores, empresários e demais correntistas vivenciam um momento de vergonha quando aquela famigerada mensagem na "maquininha", "Não Autorizado" aparece e aponta para o cliente um dedo bem no seu nariz dizendo que você é um potencial caloteiro ou espertinho. Mas não é bem assim não.

Com muita instabilidade, devido à mudanças na prestadora de serviço de tecnologia, os serviços da estatal tem ocasionado a movimentação dos clientes até suas agências e desconfiança nos  aplicativos e serviços de Banknet.

Essas inconsistências técnicas obrigou a empresa a publicar nota de esclarecimento, nesta data justificando a falha no serviço que não se limitou a essa semana, isso ocorre desde meados do mês de abril quando a prestadora de serviços assumiu o sistema do Banco.

Nota de esclarecimento
O BRB informa aos seus clientes e usuários que está promovendo atualização tecnológica em seus sistemas e infraestruturas. Essas intervenções se intensificaram nos últimos dias, o que ocasionou indisponibilidade temporária em alguns sistemas. 
Houve um problema pontual no processamento da rotina desta noite. O BRB está ciente do ocorrido, e está trabalhando para a normalização dos serviços.
É importante ressaltar que todos os créditos foram realizados na conta-corrente dos clientes, porém, não sensibilizaram o extrato, de modo que a integração com os canais de atendimento (mobile, autoatendimento e banknet) do Banco ainda não ocorreu no dia de hoje.
No entanto, os saldos estão atualizados nas agências, e o gerente conseguirá consultá-los e poderá autorizar o saque e os pagamentos diretamente no caixa, caso necessário. Uma outra opção de consulta ao crédito de pagamento para os clientes habilitados neste canal, é por meio do BRB Telebanco, no número 3322.1515, opção 9.
A previsão é de que o sistema seja normalizado ao longo do dia de hoje e o atendimento nas agências será estendido até às 17h. O horário para emissão de TEDs será prorrogado para as 17h. 
O BRB pede desculpas pelos transtornos causados aos seus clientes.
 
Assessoria de Imprensa
Banco de Brasília





LEIA MAIS



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTAS FISCAIS DA NET PUB TEM CARIMBOS DIFERENTES EM OUTROS GABINETES

Filipe Nogueira Coimbra, ex-servidor do gabinete da deputada Sandra Faraj e proprietário da NetPub, nega que tenha atestado o recebimento na última nota fiscal, que emitiu durante contrato de prestação de serviços com a parlamentar. Segundo ele, o carimbo não confere com o modelo utilizado pela empresa, nem mesmo a assinatura. Mas documentos similares, aos quais o blog teve acesso, mostram que a prática é comum entre seus clientes. Um deles foi emitido em janeiro deste ano, a um deputado federal de São Paulo, observem que a assinatura é bem diferente daquelas que Filipe aponta como original e,  carimbo utilizado apenas o ateste de PAGO. Filipe precisa esclarecer também porque trabalhou por quase dois anos no gabinete da parlamentar e só agora, após a exoneração, tirou da gaveta a suposta cobrança dos valores. A ligação de Filipe e o ex-chefe de gabinete, Manoel Carneiro, também deve ser desvendada, ainda mais agora depois que o Correio Braziliense revelou vídeo que flagrou

Monopólio Artificial e Monopólio Natural, você sabe qual a diferença?

Hamilton Silva é jornalista e economista O monopólio natural  Um monopólio pode ser natural ou artificial.  No primeiro caso, o monopólio é consequência de que é o monopolista que melhor oferta o valor – um bem ou serviço – naquele contexto. O monopólio natural não conta com nenhuma barreira protetora ou privilégio; é simplesmente a melhor das possibilidades disponíveis no momento. Isto é, dadas às circunstâncias, qualquer um pode tentar competir diretamente com o monopolista, mas enquanto não ocorre isso é ele quem melhor satisfaz as necessidades dos consumidores, dadas as alternativas.  Se certo cirurgião é o único cirurgião no mundo que realiza o transplante de um determinado órgão vital, ele detém o monopólio desta habilidade. Do mesmo modo, outros valores cuja oferta é naturalmente restrita são monopólios naturais.  Se um monopólio natural traz ao monopolista benefícios especialmente grandes, estes benefícios chamarão a atenção da sociedade, que canaliza

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as