Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2012

MONEY - A TRILHA SONORA

Imagem
MONEY
Clássico do Pink Floyd que agora passo para matar a  saudades e aguçar a curiosidade de muitos que aqui visitam. Vejamos: Foi Gravado de improviso no jardim da casa de Roger Waters, letrista e arranjador, mas os créditos devem ser da banda. The Dark of Side of de Moon, vendeu aproximadamente 400 mil cópias (1973), sendo considerado por muitos uma "Obra Prima", superando até TheWall. Estou postando esse video, pois em quase todo evento relacionado com finanças e dinheiro é essa a trilha sonora que se destaca e com toda razão. Curtam!

RENDA FIXA O QUE É?

São todos os Títulos de Renda Fixa, que como o nome sugere, são Títulos que pagam, em períodos definidos, uma certa remuneração, que pode ser determinada no momento da aplicação ou no momento de resgate, ou seja, no final da operação. Dentre os exemplos de RENDA FIXA temos: Caderneta de Poupança, Certificados de Depósitos Bancários os CDB's, Títulos do Tesouro, Letras do Tesouro e Títulos de Créditos. Quando se compra um Título de Renda Fixa, na verdade está se emprestando dinheiro ao emissor do título, que pode ser um Banco, o Governo ou empresa. O juros do título são  a remuneração paga por esse empréstimo.

PISANDO NO ACELERADOR DA MODERNIZAÇÃO E DA PRIVATIZAÇÃO

As ações são otimistas, haja vista os prazos

Com os leilões de três principais aeroportos brasileiro, o governo levantou o montante de R$ 24,5 bilhões e espera-se que esta iniciativa acelere o processo de  modernização desses, que são terminais muito importantes para os eventos esportivos mais importantes da década. A venda de licença dos aeroportos de Guarulhos-SP, o Internacional de Brasília, o de Viracopos em Campinas foi por um prazo de 30 anos. E como os investimento foram relativamente alto, sugere-se a lucratividade certa, até porque, os estudos dos Consórcios envolvidos nesta operação vem se desenrolando nos últimos meses com muita expectativa e confiança dos investidores.  Graças ao desempenho positivo  de nossa macroeonomia, os aeroportos estão sofrendo uma pressão significtiva rumo à modernização e com essa etapa da privatização o ritmo para que isso aconteça, se torna ainda mais acelerado.