Pular para o conteúdo principal

AUSTERIDADE COM PRÓPOSITO ALIMENTA ESPERANÇA

Foto: Internet - Hamilton Silva
Na pessoa de seu presidente, Joe Valle, a CLDF(Câmara Legislativa) dá exemplo 

Com pressão por todo  lado, a Câmara Legislativa toma a drástica decisão de cortar na própria carne. Com aval do Presidente da Casa, Joe Valle, o legislativo local deseja votar em breve um projeto que corta gastos com verbas indenizatórias, incluindo despesas com aluguel de imóveis e veículos na ordem de 450 milhões de reais por ano.
A pressão social se dá através de projeto "Câmara+Barata" dentre outros e a colheita de assinaturas  para a apresentação de um projeto de lei de iniciativa popular (Plip) que acaba com a verba indenizatória.
Mesmo sendo  um ano eleitoral, podemos considerar como sendo uma ótima iniciativa. Ainda que os parlamentares tirem proveito do "evento" trata-se de uma economia de recursos públicos. Pode até parecer casuística a iniciativa e soar hipocrisia, mas o Presidente da Casa tem que receber os louros da justa medida. Num país onde a austeridade tem sido objeto de discurso  populista, a Câmara Legislativa dá robustez nas ações que podem trazer fortes economias do nosso dinheiro e aliviar a tão desgastada imagem da Casa. A CLDF segue outros Estados que já cortaram tal imoralidade, mas ainda tem um longo caminho para "limpar sua barra" com o eleitor.
O  parlamentar do Distrito Federal que saiu na frente e adotou o corte de verbas indenizatórias é o senador Reguffe que resiste em sua trincheira de baixo clero fazendo valer o vínculo com sua representação popular.
Cada parlamentar distrital recebe R$ 25.322,00 por mês que engrossa suas remunerações indiretas. Essa medida trará um pouco de alento aos eleitores que desejam ver uma Câmara Legislativa mais produtiva e menos cara.
Segundo o presidente da CLDF, a previsão é de que a matéria seja votada em plenário na primeira semana de março, após passar pela análise da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e da Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF).

Por: Hamilton Silva (Jornalista e Economista)
 LEIA TAMBÉM



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000