Pular para o conteúdo principal

O OBCECADO TEMER EM TRÊS ATOS

Michel Temer (PMDB-Que volta a ser MDB em 2018)


I - A Saúde


saúde pode ser colocada como prioridade de segunda categoria  na linha de prioridades do Presidente na medida em que tem literalmente passado por cima dela quando o assunto é aprovar medidas questionáveis, impor soluções controversas e atropelar quem quer que seja e que esteja no meio do seu caminho( leia-se “ a lava jato” e seus procuradores)! Mas como sou eu queescreve, e acredito ser  a saúde a primeira coisa a se cuidar , o Presidente tem usado de sua própria força interior para superar seus medos internos e deficiências físicas: um drama que, em hipótese nenhuma, deve ser explorado por adversários. Viva a ética na política. Por detrás de uma pessoa obstinadahá uma teimosia doentia e fanática. Qual o Brasil que esse homem anseia? Uma perpetuação dos privilégios de amigos corruptos e corruptores? Pois quando focaliza no bem de banqueiros e alguns grupos empresarias, o Temer, escolhido pelo PT, para compor a chapa da então Presidente Dilmadeixa de ser o ponto de equilíbrio  entre capital e trabalho e o meio empresarial ganha força pra perpetuar os homens públicos  que aí estão no poder.

II - Reforma da Previdência


Pra ele, Temer, virou obstinação, quase uma cegueira. E não deveria, afinal, o desgaste pode ser trágico e ocasionar consequências irreparáveis na sua vida particular, leia-se saúde e vida familiar. Observem que, além de ser o último ano de governo e véspera de ano eleitoral, as sucessivas trapalhadas e pacotes de maldades, como a reforma trabalhista , Joesley, Wesley, induto natalino, Loures, malas de dinheiro, Gedel, apartamento de Salvador,  Marun,  dólares espalhados pela sala,entre outras, em nada combinam com alguém que pretenda entrar para a história como alguém que tirou o pais da crise e do desemprego. Além do que , diferentemente de quando se inicia um Governo legitimado pelas urnas, quando aí sim se mostraria o momento mais adequado para os ajustes justos e necessários,como uma reforma da previdência séria e justa em que realmente se retirassem benefícios de  parlamentares, empresas, bancos, instituições religiosas e toda a sorte de afagos a quem” toma lá da cá”, sua saúde está ainda mais comprometida e frágil. Parece que, ou ele é muito mal assessorado, ou  está na hora de aposentar, não acham? Mas a derrocada política  de Temer pode ser ainda pior, caso  não se consiga êxito naquele ponto que parece ser a única pauta para 2018, ops, não não. Vencer ou vencer eis a questãomesmo que isso deixe clara uma perseguição obstinada àqueles que estão literalmente no pé do Congresso Nacional: não há o menor escrúpulo nem tentam disfarçar.
  
Com um orçamento gordo ,em torno de R$ 20 bilhões, o Ministério das Cidades administra o Minha Casa Minha Vida (MCMV), incluindo o novo Cartão Reforma, que é um dinheiro dado para famílias de mais baixa renda reformarem imóveis. Além disso, um ministério tem centenas de cargos para nomeação direta, sem contar os secundários. 


Na Câmara, não há 308 votos sinceros pela reformatalvez 60, no máximo. De maneira que a proposta só passa com votos fisiológicos. Na cabeça do presidente, não há espaço para uma conta que não seja pragmática. A conta é simples e não importa se os parlamentares votam  como se estivessem fechando umnegócio ou por convicção. O que importa é suaobstinação desmedida, sua inflexibilidade em aprovar o projeto, para que ele, Temer, fique na história como o homem que fez. É o que importa. 

III - Privatizo, privatizo e privatizo!!! 

Já não fosse suficiente a trapalhada Reforma Trabalhistaque culminou com a demissão do Ministro do Trabalho pelo desastroso número de demissões dos últimos meses e do fracasso das novas regras, e a aprovação do "Teto" com  Gastos Públicos, controlar a inflação e Juros, o que parece muito importante, vital, para osneoliberais  a palavra de ordem é  privatizar, leia-se entregar parte dos ativos estrategicamente construídos pela Nação. A privatização foi crachá do PSDB. Então, por que o presidente se auto proclama o sucessor privatista? Qual a intenção mercantilista do sucessor de Dilma? "É na crise que se encontram as oportunidades", frase feita de muitos "liberais" predadores.
A Eletrobras é a maior holding do setor elétrico da América Latina e a 16ª maior empresa de energia do mundo, detendo 30,7% da capacidade de geração de energia do Brasil. Segundo o Ministério de Minas e Energia, o valor patrimonial da Eletrobras é de R$ 46,2 bilhões, e o total de ativos da empresa soma R$ 170,5 bilhões. A pergunta que fica: Qual ointeresse em privatizar um patrimônio público de cunho estratégico, já que não se envolve somente o PL da Companhia? E por que só agora falar em privatizar a Embraer? Revelação de que as propinas com privatizações sejam algo ainda maior quando se privatiza? Seria uma espécie de "boi na sombra" para suas futuras gerações?


Sinalizo para um brandura de isenção, mas não vou amarelar; estou do lado dos que  acham que Temer está "pulando o corguinho" feio. Já deu!!. Não posso crer numa administração de governo que alimenta uma doentia obsessão por poder a qualquer custo. O estado de cegueira alcançou níveis inacreditáveis, ou seja, o Presidente age como um indivíduo obcecado por algo ao ponto de não conseguir avaliar os seus próprios comportamentos e a própria realidade, realidade de um povo sofrido com índices de desemprego e sem crédito que alimente uma esperança de mudança.


A obsessão pela Reforma da Previdência se tornou mais que uma teimosia, se tornou uma obsessão que pode  até custar caro  para o servidor público, o bode expiatório da vez, e para o trabalhador brasileiro, mas vai lhe custar  caro também, Temer, infelizmente.

Por: Hamilton Silva - Jornalista DRT nº: 11815/DF




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000