Pular para o conteúdo principal

ESTUDANTES VìTIMAS DOS PROFESSORES FAZEM GREVE NA UNB

Imagem da internet

Alunos do curso de Geografia da UNB aprovam uma greve "sem pé nem cabeça" e prejudicam futuro de outros tantos jovens. Impressionante é o comunicado do Comando de Greve com nome sugestivo de ContraFluxo que "encoraja" a ausência das aula, inclusive provas.



 ContraFluxo encoraja a "falta"  de provas e aulas.



Fazer política com dinheiro dos outros é fácil.








Me pergunto enquanto pai e enquanto cidadão que paga impostos para a manutenção da universidade pública e "gratuita". Como fica o futuro dos filhos que estão no último semestre e perderão o precioso tempo em busca de uma colocação profissional? O irresponsáveis e preguiçosos alunos grevistas irão subsídiar os conhecimentos do tempo restante na universidade? De que maneira irão suprir o hiato que se cria?

Faz muito tempo que o instrumento de greve já não causa nenhum efeito nas reclamações dos sindicalistas e pessoas assistidas por essas instituições carentes de reflexões e auto análise. 

Também não é novidade para ninguém que as esquerdas, socialistas, trotskistas, stalinistas, petistas e todos os outro istas existentes dominam e influenciam a academia, de tal maneira que os jovens que lá entram sofrem ataques pesados de uma ideologia destrutiva do senso crítico. 

Com um orçamento anual de 1,7 bilhões a Universidade de Brasília, administrada e influenciada por aqueles que citei acima, sugerem e manipulam, para ser politicamente correto, uma juventude aberta ao conhecimento. E estes ao se depararem com as ilusões comunistas veem seus futuros, muitas vezes, perdidos pela academia míope contaminada pela teorias distantes dos reclames sociais. Emprego por exemplo. 

Lamentável como os 'mestres' não se utilizam dos métodos de  dissuasão disponíveis com fins ao enriquecimento intelectual pessoal e profissional de nossos filhos. pelo contrário, se utilizam dos cargos para usarem nossos jovens nas causas políticas ideológicas. 

Por: Hamilton Silva 




LEIA TAMBÉM


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000