Pular para o conteúdo principal

CELINA LEÃO: "ESSE GOVERNO NÃO É HONESTO, ELE TEM UMA BLINDAGEM, MAS ESSA BLINDAGEM SE FINDA COM O FIM DO GOVERNO DELE"

" O Governador gastou dinheiro público pra fazer propaganda contra o servidor para botar a população contra o servidor quando ele fez uma propaganda que falava que todo o dinheiro do GDF era pra pagar 7% da população, só que ele esqueceu que esses 7% atende toda população."


Em seu segundo mandato Celina Leão vive o seu melhor momento depois de várias incursões do executivo local para desmantelar a oposição qualificada da deputada que sinaliza para uma vaga ao Legislativo Federal . Ela respondeu com exclusividade ao blog do Hamilton Silva na tarde de quinta-feira (19) numa sala da Câmara Legislativa. 

Com característica que se encaixa em qualquer vaga majoritária a pré-candidata sinaliza superação e afirma que Operação Drácon "está do tamanho que deveria ficar".

Celina Leão (recém filiada ao PP) obteve a vigésima-primeira votação para Deputado Distrital na eleição 2014 com 12.670 votos (0,83 % dos votos válidos).Foi a terceira mais votada na coligação PSB/PDT/SD. Não foi a mais votada em nenhuma das 21 Zonas Eleitorais. Teve seu maior resultado proporcional na Zona 17 (Gama) com 1,15 % dos votos válidos, e seu pior resultado na Zona 7 (Brazlândia) com 0,23 %.


Blog: Como é deixar a presidência da Câmara Legislativa se destacando como a principal opositora do atual governo e se tornar uma oposição mais modesta, quase acuada?

Celina Leão: "O plano do Rollemberg era calar a oposição eu acho que ele deu voz para oposição tanto que eu pontuei para deputado federal, pontuei entre os primeiros para deputado distrital e pontuo para governo também, então o objetivo do governador Rollemberg não foi atingido e eu sei minha responsabilidade como oposição né? 
Eu me lembro muito no meu primeiro mandato porque o chefe do executivo ele tem muito poder, mas quando ele sai do poder aquilo tudo desaba...O Rollemberg não será reeleito e ele vai ter o calvário dele de responder as inúmeras arbitrariedades que aconteceram no Distrito Federal... Esse governo não é honesto...ele tem uma blindagem, blindagem, mas essa blindagem se finda com o fim do governo dele que é em dezembro agora

Blog : Ele (governador) é  blindado por quem? 
Celina Leão: " Aaacho que por alguns amigos que ele deve ter né?

Blog: Qual foi o maior desafio depois de deixar a mesa diretora da CLDF por ter sido afastada na Operação Drácon? Foi uma manobra? 

Celina Leão: "É uma manobra do governador é de pessoas que tinha dificuldade de ver nosso crescimento tanto que a operação Drácon entrou em descredito até a própria deputada Liliane foi desmentida várias vezes no próprio judiciário entendeu? então eu acho que  ela (operação Drácon) ficou do tamanho que ela deveria ficar né...hoje em dia a população do Distrito Federal tem noção do que aconteceu."

Blog: Há bem pouco tempo a senhora filiou-se ao PP, tendo sido eleita pelo PDT, em 2014 com pouco mais de 12.670 votos e em 2010 pelo PMN. Como a senhora vê o tema fidelidade partidária? A senhora é a favor do candidato avulso (candidato sem partido)?

Celina Leão:"Sou totalmente favorável do candidato avulso, acho que tinha que acontecer até porque muitas vezes eu acho que o deputado assim que tem uma postura mais firme como a minha é difícil agente ter um cabresto né? de aceitar uma imposição do governo. Se você perguntar em qual partido que eu tô as pessoas não sabem, mas as pessoas sabem quem é a Celina Leão entendeu? Nós temos partidos demais no Brasil."

Blog: A senhora teve sua maior votação no Gama nas eleições de 2014 e também no segmento evangélico. A senhora acredita na ampliação dos votos nesse segmento? 
Celina Leão: "Quando vocêvê minha votação você tem muito voto do servidor público, então assim, eu tive voto é do segmento evangélico claro e tive voto fora do segmento evangélico, tive muito voto do servidor público."

Blog: Como a senhora saiu da Comunidade das Nações, saiu chateada com o pastor?
Celina Leão: "Não, não que isso, eu tava lá domingo retrasado tava no culto lá. Acho que essa decisão ela não é nem minha é uma decisão do pastor quais são os candidatos que ele vai apoiar, mas eu não tô na igreja por voto, eu tô na igreja pela liderança do Pr. JB, porque acho que ele é um grande homem de Deus entendeu? até porque é muito difícil você ficar misturando isso, meu mandato é muito aberto..., não é um mandato de pastora, não é isso, é um mandato de uma deputada que teve também o apoio de evangélicos."

Blog: A senhora gostaria do apoio aberto do JB Carvalho?
Celina Leão: Claro! quem não gostaria do apoio do JB? O JB é um grande homem, mais importante do que o apoio político é o apoio espiritual porque ele é um grande homem de Deus.

Blog: A senhora tem abraçado muitas causas de segmentos corporativos como os rodoviários, metroviários e os servidores da saúde. Como a senhora enxerga o papel do servidor público na formação do eleitorado e qual foi a assertiva de Rodrigo Rolemberg ao zelar pelas contas públicas do GDF?
Celina Leão: "Olha só o que que eu acho, acho que o governador que não respeitar o servidor público ele perde a eleição em Brasília, e esse foi um dos grandes erros dos Rollemberg, porque a forma dele discutir com o servidor público. Todos as categorias, todas as carreiras sabiam que nós não tínhamos dinheiro pelo rombo que realmente o governo Agnelo deixou, mas a forma que se trata o servidor público. O Rodrigo mandou projetos anti-greve, todo mês a gente tinha um projeto contra o servidor público violando direitos que ele nem poderia violar que eram direitos constitucionais e nós nos posicionamos sobre isso. "
"A falta de recursos não dava legitimidade pro Rollemberg tratar o servidor como ele tratou." 
Blog: Qual é o melhor candidato ao Governo de Brasília? 
Celina Leão: "Eu  não posso falar sobre isso ainda, assim porque nosso partido ainda tá tomando uma decisão nesse sentido, mas eu acho que nós temos grandes nomes qualquer um que não seja o Rollemberg (risos). Sou amiga de todos esses pré-candidatos sou muito amiga do Frejat, acho que o Frejat tem que ter um respeito foi o único secretário da saúde que saiu sem se manchar, saiu maior do que entrou, temos colegas  que trabalharam aqui conosco como ao Alírio, o Izalci que é um grande deputado federal. Mas a tendência do PP e fechar com Frejat. As nossas reuniões estão sendo com o Frejat é importante frisar"

Blog: A senhora é atuante na fiscalização do executivo e na denúncia de agentes públicos é por esta razão que a senhora é atacada? Mesmo sendo aliada do governo irá continuar denunciando?

Celina Leão: Eu vou continuar sendo a Celina sempre, sendo governo sendo oposição, e eu preciso ser respeitada por isso. desde que eu seja respeitada dentro daquilo que eu acredito eu posso ser governo e posso ser oposição também, então assim eu não vou mudar, entendeu? quem muda são os governadores. Eu tenho certeza que minha postura incomoda muito que eu falo o que eu quiser falar é pra isso que serve minha imunidade parlamentar.

Por: Hamitlon Silva









LEIA TAMBÉM











Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Bolsonaro ensaia ‘dobradinha’ com Ibaneis

  Foi hoje na posse do novo ministro Ciro Nogueira cacique do PP que Jair Bolsonaro disse:   “Dispenso comentários. Nós aqui somos um só governo. União e Distrito Federal é um casamento perfeito” , declarou Bolsonaro aos presentes na solenidade. O horizonte eleitoral é muito mais curto que os trezes meses até o pleito. Ibaneis Rocha (MDB) para governador e Jair Bolsonaro para presidência seria uma chapa imbatível no Distrito Federal. Ambos foram muito bem sucedidos em 2018  no quadrado do Planalto Central. Bolsonaro teve 69,99% cerca de 1.080.411 votos no segundo turno e Ibaneis Rocha recebeu 1.042.574 votos – o equivalente a 69,79% dos votos válidos. Bolsonaro é “raposa felpuda” com mais  de trinta anos de vivência  no Congresso Nacional e apesar de Ibaneis ter conquistado o seu primeiro mandato vem surpreendendo com quase 3 anos de uma gestão positiva ou do “bem”. O resultado eleitoral em 2018 jamais poderá ser ignorado sob pena de se repetir a derrocada de seus opositores. Opositore

Verdade nua e crua

 O jogo político está empatado, os atores da política nacional jogam no limite possível.  Não há como destituir o presidente Jair Bolsonaro do seu cargo. A oposição já sabe disso. Não vai trabalhar por impeachement , pois todas ações neste sentido passam pela aprovação da Câmara dos Deputados e o presidente Arthur Lira já deu sinais diferentemente de Rodrigo Maia  de ser um "homem de palavra".  Bolsonaro está acastelado. Ele tem o cargo de Presidente da República, o que não é pouca coisa, tem as ruas, os movimentos de milhões, ignorados pelos jornais e tem as Forças Armadas. Muito dificil derrubar. A oposição só tem uma chance de vencer Bolsonaro: Fraudando as Urnas e por isso o ponto de equilibrio desse jogo é a aprovação ou não da PEC 135/2019.  As estratégias adotadas pela oposição revelam o total desespero dos atores políticos, isto porque mal aprofundam as ações em curso como foi o caso do impeachement na Câmara dos Deputados e já implementam outra seguida do insucesso.