Pular para o conteúdo principal

INVESTIR: É O GASTO INTELIGENTE. VOCÊ GASTA AGORA PARA ECONOMIZAR ADIANTE

Corumbá 4 a mais importante obra para  Brasília

Mais recentemente o país parece ter encontrado um novo caminho econômico baseado no controle da inflação. Aos poucos o mercado de trabalho começa a dar sinais de recuperação e dessa forma a economia tende a se aquecer. Esse aquecimento da economia, ainda que tímido, pode significar a oportunidade sonhada para empreendedores e para gestores..

Inflação

Comparada a 2016, variação acumulada diminuiu para 3,76%. Análise foi apresentada na Codeplan nesta sexta (12/01). Reflexo dos índices nacionais, Brasília vem se recuperando com influência direta desses índices.

Desemprego

Nada é tão ruim que não possa piorar. Em pesquisa a CODEPLAN divulgou com uma certa ansiedade os números da Pesquisa de Emprego na capital. Infelizmente os números ainda não são tão otimistas assim. 

Explico: Apesar de verificar uma modesta queda no índice de desemprego o pior de todos os números é o que está oculto nesses dados que refletem um reflexo da estagnação econômica mas fatalmente já pode está indicando influência definitiva da nova lei trabalhista.A informalidade se destacou com o número de autônomos no período que cresceu 2,1%, e o de empregados domésticos caiu 4,4%. E deve ter muitas novidades para 2018, já que as reformas da CLT deverão refletir diretamente na economia e abertura de novas vagas. Torna-se visível, basta ver nas ruas a quantidade de camelôs apesar do combate ao contrabando e produção de material pirata.

A política de governo adotada nos último anos tem sido nessa direção, ou seja, economia de recursos induz uma estagnação impeditiva de novos investimentos. 

Política Econômica 

Segundo balanço de 2017 divulgado na edição da terça-feira (30/1) do Diário Oficial do DF, o governo local conseguiu ficar abaixo do limite prudencial: 46,07% da receita corrente líquida foram utilizados para pagar salários. Embora se mantenha na zona de alerta, o GDF está fora de sanções e proibições, como contratar pessoal e pagar reajustes salariais aos servidores. 

Cabe ressaltar que a escassez de recursos e a política adotada de austeridade refletiu diretamente no Produto Interno Bruto (PIB) de Brasília que apresentou queda de 0,5% no terceiro trimestre de 2017 em relação ao mesmo período do ano passado. Nesse mesmo espaço de tempo, o PIB nacional teve crescimento de 1,4%.

Centralizar todos os investimentos possíveis nos últimos doze meses de mandato, ou é má fé ou má gestão; A escolha de prioridades não foi avaliada da maneira correta, ou seja, a programação de manutenção preventiva e de investimentos de médio prazo como é o caso de obras de infraestrutura (Metrô, por exemplo e de saneamento básico )sofrem distorções muitas vezes irreversíveis.

Investir não é vocação do atual governo, entretanto ,a qualidade das despesas precisa melhorar em todos os sentidos. Investimentos em infraestrutura como a solução definitiva para o abastecimento de água com a finalização dos reservatórios em parceria com os governos vizinhos pode nao significar endividamento, mas investimento uma vez que qualquer gasto em infraestrutura tem resultados permanentes e definitivos além de resolverem questões para as quais a postura do enfrentamento e não meramente a adoção de paliativos já é tardia e urgente. Atração de novos investidores, seja com renúncia fiscal ou implementação de novos mecanismos eficazes de arrecadação, com vistas a diminuir a inadimplência (assunto para outro post, já que o circulo de consumo se fechou para os servidores, principal consumidor da capital). Quando da eleição dos gestores de recursos comuns exige-se o mínimo de responsabilidade e assertividade com despesas. A questão não é parar de gastar e economizar, o ponto nevrálgico é saber gastar.

Por: Hamilton Silva DRT 11.815/DF














Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Bolsonaro ensaia ‘dobradinha’ com Ibaneis

  Foi hoje na posse do novo ministro Ciro Nogueira cacique do PP que Jair Bolsonaro disse:   “Dispenso comentários. Nós aqui somos um só governo. União e Distrito Federal é um casamento perfeito” , declarou Bolsonaro aos presentes na solenidade. O horizonte eleitoral é muito mais curto que os trezes meses até o pleito. Ibaneis Rocha (MDB) para governador e Jair Bolsonaro para presidência seria uma chapa imbatível no Distrito Federal. Ambos foram muito bem sucedidos em 2018  no quadrado do Planalto Central. Bolsonaro teve 69,99% cerca de 1.080.411 votos no segundo turno e Ibaneis Rocha recebeu 1.042.574 votos – o equivalente a 69,79% dos votos válidos. Bolsonaro é “raposa felpuda” com mais  de trinta anos de vivência  no Congresso Nacional e apesar de Ibaneis ter conquistado o seu primeiro mandato vem surpreendendo com quase 3 anos de uma gestão positiva ou do “bem”. O resultado eleitoral em 2018 jamais poderá ser ignorado sob pena de se repetir a derrocada de seus opositores. Opositore

Verdade nua e crua

 O jogo político está empatado, os atores da política nacional jogam no limite possível.  Não há como destituir o presidente Jair Bolsonaro do seu cargo. A oposição já sabe disso. Não vai trabalhar por impeachement , pois todas ações neste sentido passam pela aprovação da Câmara dos Deputados e o presidente Arthur Lira já deu sinais diferentemente de Rodrigo Maia  de ser um "homem de palavra".  Bolsonaro está acastelado. Ele tem o cargo de Presidente da República, o que não é pouca coisa, tem as ruas, os movimentos de milhões, ignorados pelos jornais e tem as Forças Armadas. Muito dificil derrubar. A oposição só tem uma chance de vencer Bolsonaro: Fraudando as Urnas e por isso o ponto de equilibrio desse jogo é a aprovação ou não da PEC 135/2019.  As estratégias adotadas pela oposição revelam o total desespero dos atores políticos, isto porque mal aprofundam as ações em curso como foi o caso do impeachement na Câmara dos Deputados e já implementam outra seguida do insucesso.