Pular para o conteúdo principal

A CORAGEM DE DELMASSO


“Não é para imprimir o ‘orgulho de ser hétero’. A manifestação é para demonstrar as boas práticas do heterossexualismo. A difusão da cultura heterossexual vai ajudar a combater, inclusive, o machismo.”
No domingo (12), o deputado Rodrigo Delmasso (Podemos)  foi entrevistado pelo  Jornal Metrópoles em que explicava um projeto :“Semana de Difusão da Cultura Heterossexual” no Distrito Federal. E quando  ao falar que teve relacionamento homossexual quando jovem, promoveu e alguns grupos de whatsapp uma velada zombaria e piadas preconceituosas do tipo "quem foi nunca deixa de ser" , tanto que o deputado soltou nesses mesmos grupos e no mesmo dia uma outra nota ainda mais explicativa afirmando ter sido abusado aos 13 anos de idade.

Ex-drogados, ex-gays  criminosos mais perigosos ocupam espaços em igrejas de todas as denominações, buscando conforto espiritual e até curas espirituais. Todavia a religião não impede ninguém de voltar a praticar aquilo que, moralmente fere os seus princípios e outros tantos nem sequer mudam suas práticas criminosas ou outra qualquer. Não é raro, mas identificamos algumas autoridades alimentando o caixa de algumas instituições religiosas. Infelizmente.

O distrital Rodrigo Delmasso (Podemos), por exemplo, aparece em lista da JBS como um dos deputados que teriam recebido aportes financeiros da empresa durante a campanha eleitoral de 2014. Talvez esse possa ser um pecado até mais grave como diriam os católicos já que para os evangélicos não existe pecadinho e nem pecadão.

Não o conheço pessoalmente e não tenho procuração para defendê-lo, não concordo com muitas de suas posições políticas, principalmente no que diz respeito ao governo local. Mas é preciso destacar a coragem como se expressou abrindo sua vida íntima e  principalmente ao apresentar  um projeto que choca muitos dos militantes homossexuais, comprando assim, mais uma "briga". Fomentar o debate instrumentaliza e proporciona um espaço para a reflexão de temas marginais inundado de sutilizas e mensagens subliminares.


Quando alguém se propõe a relatar um Testemunho de Vida dentro de uma igreja, esse já adquiriu força necessária para falar do assunto e anseia ajudar pessoas que passaram pelos mesmos problemas ou problemas parecidos e o depoimento de Delmasso sinaliza nessa direção. Direção na defesa dos princípios que norteiam sua base eleitoral inclusive. Se esse testemunho choca, choca principalmente aos hipócritas que não vivenciaram uma experiência verdadeira com Deus e não viveram dramas de abuso na infância. Por isso deveriam se auto examinarem e checar se não há falha em suas vidas.

Tenho certeza que muitos héteros celebraram a criação do projeto:“Semana de Difusão da Cultura Heterossexual” afinal das contas já que se cria tantas bobagens sem nenhum propósito criar um projeto dessa natureza alimenta uma fissão na sociedade institucionalizando todo o debate, mas resguardando uma parcela social que defende príncípios cristãos. Igualando assim, o nível institucional do debate.

Alguns podem afirmar que o projeto do deputado é apenas ação de markenting, mas duvido que alguém se exporia tanto para poder ganhar mídia, mesmo sabendo que políticos fazem de tudo para aparecer. Tenho absoluta certeza de que existe uma parcela da sociedade se sentindo representada ao se criar essa agenda.


Leia Mais

Comissão especial vai apurar casos de pedofilia no DF

COM APOIO DE DELMASSO, WASNY E AGACIEL CÂMARA LEGISLATIVA RETOMA ATIVIDADES E APROVA PROJETO DE INTERESSE DA CIDADE

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Notícias do Planalto Central

Simbologia  A imagem (foto) marcante e mais simbólica da semana foi sem dúvida nenhuma a do governador Ibaneis Rocha na Ceilândia cercado de políticos "peso pesados" da Capital. Ladeado de Flávia Arruda (PL) o encontro sinaliza para uma aliança sólida neste ano de 2022.  'Puliça' O encontro de Ibaneis foi no reduto mais cobiçado da Capital, a Ceilândia (maior colégio eleitoral do DF), onde a foto fala mais do que qualquer palavra. O anfitrião,   o delegado Fernando Fernandes estava com sorriso de orelha a orelha com apoio e prestígio. O delegado deverá se filiar ao partido Republicanos com a benção de Ibaneis.  Volta à Cena O empresário e ex-senador  Luiz Estevão que agora goza de liberdade volta aos pouquinhos à cena política e parece já influenciar definitivamente alguns poucos  políticos da Capital, principalmente os distritais. Luiz tem política nas veias e participou discretamente de algumas "confras" ao lado da esposa Cleucy.   Decisão Fraga erra na tá

Coluna: Notícias do Planalto Central

Ex-governador Rollemberg Marketing reverso Na última semana de 2021, antes de assumir sua candidatura a deputado federal o ex-governador Rodrigo Rollemberg publicou um vídeo em que dizia do quanto dá trabalho cuidar das suas bezerrinhas. Fico imaginando o quanto é trabalhoso cuidar do seu curral eleitoral . Em tempo: no vídeo o político aparece todo sujo de esterco. Carnaval Atendendo a oração de muitos e mais ainda ao avanço de uma outra onda do vírus chinês o governador Ibaneis Rocha(MDB) cancelou o Carnaval de rua no DF. Ontem o vice Paco Britto anunciou não descartar um novo lockdown. "Saúde acima de tudo!"   Evangélicos Viver um paradoxo real é também ato de fé, na proporção em que a falta de Carnaval faz mal ao comércio e ao turismo da cidade, a pandemia do vírus chinês também faz mal à população deixando um rastro de pobreza (desemprego) e morte . O discurso dos evangélicos com referência ao fechamento das igrejas precisa encontrar um ponto de convergência ou

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as