Pular para o conteúdo principal

MULHER VOLÚVEL OU MULHER FORTE?

Foto: Internet- Hamilton Silva


Abadia e Rollemberg tentam implodir PSDB

Nem vou entrar nessa conversa de quem ganha ou quem perde. O fato é que todos os movimentos estão sendo monitorados pelo eleitor, talvez nem todos, mas definitivamente acompanhar deveria ser o papel de quem vai eleger.

No dia 09 do corrente recebemos (blogueiros) na sede da Associação do Comercial do DF- leia mais - a ex-deputada constituinte Maria de Lourdes Abadia e com uma simpatia muito sedutora nos brindou com uma entrevista que no primeiro momento me pareceu sem muita adrenalina, mas que nessa semana obteve o tão sonhado xeque-mate, "BINGO!!".

O fato dela hoje aceitar  participar do secretariado significa que as intenções de construir um entendimento no PSDB era secundário e que as pretensões eleitorais eram e são prioridade em detrimento de se contribuir para o plano de governo. Principalmente o que está em andamento e finalizando com baixo rendimento em resultados. A ex-governadora, entra no GDF, para ajudar a governar por menos de uma ano sem garantias técnicas que poderia contribuir para a diminuição de rejeição, ou seja, não tem garantias nenhuma. Esse fato não indica uma aliança estratégica de médio prazo visando o bem estar da sociedade, pelo contrário, indica apenas uma tática  pontual de interesse privado/partidário da sua facção tucana sedenta pelo poder.

Mas o que  impressionou foi a forma como a Abadia classificou de forma muito incisiva o deputado izalci Lucas de mentiroso: "Foi numa festinha de criança onde estava o governador Rollemberg... foi tudo uma brincadeira o Izalci mente, é mentira."  quando indagada sobre a declaração do tucano de que ela e seus companheiros queriam "vender" o PSDB ao GDF. 

A velha política do disse me disse e da "traíragem", até então adormecida nos últimos anos,  retornou com força total ao centro da disputa eleitoral sem nenhum constrangimento.
Os projetos qualitativos de programa de governo estão jogados em gavetas empoeiradas e não são visitadas a anos e por isso o contribuinte não vê a cor de seu dinheiro sendo aplicada em obras de infraestrutura, educação, saúde, mobilidade.

História

Em 1994, Abadia, então deputada distrital, aliada do governador Roriz, resolveu lançar sua candidatura ao Buriti. Só que o candidato do chefe do Executivo na época era Valmir Campello. Mesmo assim, o governador mantinha conversas com Abadia e contava com o seu apoio no segundo turno. No entanto, a distrital deu uma “rasteira” em Roriz e resolveu apoiar Cristóvam (PT), cujo partido era antagonista dos tucanos no plano nacional. O governador se sentiu traído e utilizou adjetivos pejorativos para se referir à parlamentar.

Comportamento

O hábito de cometer deslizes e dar rasteira em parceiros ou de ser infiel por natureza indica uma falha  no caráter e a deslealdade torna-se rotina. Na política parece muito comum, mas para a parcela dos que praticam a política rasteira. Normalmente praticam a má conduta em qualquer meio em que conviva.   

Caro leitor, observe que os senhores(as) políticos investem "pesado" para estar no poder. A que custo? Prestem atenção nas inúmeras argumentações, articulações e manobras para se ter o controle em primeiro lugar do Partido em seguida para  ocupar uma pasta no governo. Presta atenção, algo meio que desesperado pelo poder.

Com rejeição em torno dos 90%, o governo de Rollemberg foi classificado pela   ex-deputada  de  "fraco"; talvez quisesse colaborar para que o tornasse forte, mas nunca afirmou isso de forma categórica da mesma maneira que atacou seu adversário tucano com sordidez poderá fazer aos aliados do ano que vem. Isso revelava, naqueles dias, que o Izalci não mentia e que as intenções de Abadia eram realmente a de compor o governo socialista.

Aliança

Fazendo analogia ao casamento, Abadia, a tucana com ficha de número 01 trocou de noivo ás vésperas da boda, por um noivo de fama não muito favorável e  além de correr o risco do casamento não se efetivar pode ficar mal falada, apesar que ela não deve ligar pra má fama.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000