FALTA MUITO PARA QUE NOSSA NOTA DE CRÉDITO MELHORE

ajuste fiscal
Segundo representantes da Moody's e da Standard & Poor's, fatores como a renegociação das dívidas dos Estados e o reajuste de salários de funcionários públicos e do Bolsa Família, que tem rendido crescentes críticas ao governo do presidente interino Michel Temer, por piorarem ainda mais o buraco fiscal, não mudam o cenário de longo prazo

A atenção de grandes agências de classificação de risco em relação ao Brasil segue voltada para a capacidade do governo interino de aprovar propostas no Congresso para corrigir a deterioração fiscal do país, e não tanto para medidas adotadas que aumentam o rombo orçamentário no curto prazo.
Postar um comentário
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial