Pular para o conteúdo principal

Dia Histórico, dos Brasileiros

Nossa economia, nossa saúde, nossa educação, nossa política, nossa família ou namorados, tudo parece ter perdido importância nessa data. Todos as atenções e olhos estavam direcionados para a TV.Todos os brasileiros e significativa parcela da população mundial estavam prestando atenção em nosso país, não por causa da roubalheira, não por causa de alguma violação dos direitos humanos, não por causa da fragilidade de nossa economia, mas o que chamou atenção de todos foi um esporte que domina o gosto de todo planeta terra, o futebol.Passamos todo o dia 12 de junho inseridos numa expectativa e ansiedade que contaminou os meios de comunicação inclusive a internet.

A pergunta é quantos milhões de dólares envolveram tamanho evento? De forma direta é até possível de calcular, mas de forma indireta mais de três bilhões de pessoas do planeta se deixaram, por algum instante, estar no meio de tanta empolgação e prestaram atenção no que acontecia naquele lugar em São Paulo, portanto impossível de se ter um número exato.

A tristeza veio em meu semblante quando nossa maior autoridade não teve a oportunidade de participar mais efetivamente da festa que seria do povo. Eleita pelo povo ela foi execrada por uma platéia acima das classes C,D,E, uma classe que elege e que transforma uma nação. São Paulo é o motor do país, da nação, mas infelizmente vimos e ouvimos urros e gritos de repúdio e desaprovação de pessoas que fazem da nação um grande potência econômica fora dos  campos de futebol e que se demonstraram desrespeitosas e sem educação.

Infelizmente vimos nossa maior autoridade sendo desrespeitada e exposta da forma mais pequena (vaias), uma pena, pois a nossa gradeza, a nossa riqueza passa em todos os patamares da sociedade, eclesiástico, acadêmico etc. Deveríamos mostrar o quanto respeitamos e valorizamos nossa cultura e nossa soberania, entretanto, por responsabilidade da presidenta e de alguns irresponsáveis não podemos extravasar nossa alegria e gritar bem alto o quanto amamos o futebol e honramos nossas autoridades.

Respeito às autoridades pressupõe honra e francamente não deveríamos agir da mesma forma que eles, autoridades políticas, responsáveis por esse evento sempre agiram conosco povo brasileiro. Deveríamos agir de forma diferente prevalecendo a educação que nos dispensaram por longos anos e e a civilidade que nunca tiveram com nosso tesouro e riquezas.

Uma pena, a Copa do Mundo começou com uma festa apática e "cinza", sem alegria, pois ali o povo não estava representado. Breve e sem empolgação um festa sem discurso e sem uma estrela com a grandiosidade do evento, mas tenho certeza que os envolvidos na execução tiveram o privilégio de ofertarem o seu melhor. Nem merece menção pela falta de criatividade e sem brilho.

Por fim quero lembra que muitas manifestações foram alvo da truculenta policia porque não objetivavam uma indignação pacifica como grandes revolucionários transformaram o mundo (ex: Jesus e outros) objetivaram, esses não perdiam o foco, sabiam a que vinham. Diferentes desses mascarados, baderneiros o verdadeiro revolucionário dá sua face como seu maior crédito para a transformação.

Um abraço querido leitor e acredite dias melhores virão 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Bolsonaro ensaia ‘dobradinha’ com Ibaneis

  Foi hoje na posse do novo ministro Ciro Nogueira cacique do PP que Jair Bolsonaro disse:   “Dispenso comentários. Nós aqui somos um só governo. União e Distrito Federal é um casamento perfeito” , declarou Bolsonaro aos presentes na solenidade. O horizonte eleitoral é muito mais curto que os trezes meses até o pleito. Ibaneis Rocha (MDB) para governador e Jair Bolsonaro para presidência seria uma chapa imbatível no Distrito Federal. Ambos foram muito bem sucedidos em 2018  no quadrado do Planalto Central. Bolsonaro teve 69,99% cerca de 1.080.411 votos no segundo turno e Ibaneis Rocha recebeu 1.042.574 votos – o equivalente a 69,79% dos votos válidos. Bolsonaro é “raposa felpuda” com mais  de trinta anos de vivência  no Congresso Nacional e apesar de Ibaneis ter conquistado o seu primeiro mandato vem surpreendendo com quase 3 anos de uma gestão positiva ou do “bem”. O resultado eleitoral em 2018 jamais poderá ser ignorado sob pena de se repetir a derrocada de seus opositores. Opositore

Verdade nua e crua

 O jogo político está empatado, os atores da política nacional jogam no limite possível.  Não há como destituir o presidente Jair Bolsonaro do seu cargo. A oposição já sabe disso. Não vai trabalhar por impeachement , pois todas ações neste sentido passam pela aprovação da Câmara dos Deputados e o presidente Arthur Lira já deu sinais diferentemente de Rodrigo Maia  de ser um "homem de palavra".  Bolsonaro está acastelado. Ele tem o cargo de Presidente da República, o que não é pouca coisa, tem as ruas, os movimentos de milhões, ignorados pelos jornais e tem as Forças Armadas. Muito dificil derrubar. A oposição só tem uma chance de vencer Bolsonaro: Fraudando as Urnas e por isso o ponto de equilibrio desse jogo é a aprovação ou não da PEC 135/2019.  As estratégias adotadas pela oposição revelam o total desespero dos atores políticos, isto porque mal aprofundam as ações em curso como foi o caso do impeachement na Câmara dos Deputados e já implementam outra seguida do insucesso.