Pular para o conteúdo principal

EXCELÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO





PARA REFRESCAR A MEMÓRIA


Sua necessidade se relaciona com a natureza
gerencial da administracao com uma gestão voltada para resultados;
  • A busca pela qualidade na prestação do serviço ao publico tornou-se um imperativo;
  • Foco sempre no cidadão (como finalidade e justificativa);
  • Objetivo: atendimento de excelência, que coloque os servicos, rotinas, normas e condutas a seu serviço, de forma transparente, participativa e indutora do controle social.

Legislação de Interesse:

 Decreto nº 3.507/2000 (padrões de qualidade do
atendimento prestado aos cidadãos);
 Decreto nº 5.378/2005 (GESPÚBLICA e seu Comitê
Gestor);
 Revoga: o Programa Nacional de Desburocratização, o
Comitê Interministerial de Desburocratização e os
Comitês Executivos Setoriais de Desburocratização

Os padrões são:
  •  observados na prestação de serviços aos cidadãos usuários;
  •  avaliados e revistos periodicamente;
  •  mensuráveis;
  • de fácil compreensao; e
  • divulgados ao publico.
Padrões de Qualidade
no Serviço Publico

O que possui padrão de qualidade?
  • Tratamento aos usuários: atenção, respeito e cortesia;
  • Prioridades no atendimento;
  • Tempo de espera para o atendimento;
Prazos para o cumprimento dos serviços;
  • Mecanismos de comunicação com os usuários;
  •  Atendimento de reclamações;
  •  Identificação dos servidores;
  •  Sistema de sinalização visual; e
  •  Condições das dependências

Programas de Excelência no Serviço Público

 Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade
(PBQP);
 Programa da Qualidade e Participação na
Administração Pública (PQPAP);
Programa da Qualidade  no Serviço Público
(PQSP);
 GesPública: Sistema Nacional de Avaliação da
Satisfação do Usuário dos Serviços Públicos
Instrumento Padrão de Pesquisa de Satisfação
(IPPS).


GesPública

Objetivos
 eliminar o déficit institucional; promover a governança: aumentando a capacidade de formulação, implementação e avaliação das políticas públicas; promover a eficiência: por meio de melhor aproveitamento dos recursos, relativamente aos resultados da ação pública; assegurar a eficácia e efetividade da ação governamental: promovendo a adequação entre meios, ações, impactos e resultados; e promover a gestão democrática, participativa, transparente e ética.

Comentários

Rosane Aguiar disse…
Isso é que devia ir pra mídia!pra ser divulgado e comentado e não tanta besteiras e baboseiras como bbb e os acontecimentos dele e o tal de blá, blá de Luiza!!!
Hamilton Silva disse…
Construir uma sociedade mais justa, mais igualitária e mais humana poderia estar no centro dos interesses de nossos gestores públicos. Contudo vários são os focos que os lideres enxergam. Uma sociedade humana e baseada em princípios construtivos e humanitários e cheio Daquele amor ainda é secundário na visão de muitos.
Anônimo disse…
Amei a matéria o Brasil precisa de pessoas voltadas para as politicas públicas de verdade. A sociedade tem que acordar mais e reivindicar seus direitos, quantos impostos pagamos quais os beneficios que os cidadãos tem.

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000