Pular para o conteúdo principal

IMPOSIÇÃO NECESSÁRIA



Sobre a Crise: Que crise?

Muitos veem nesses momentos de desencontros,  uma grande oportunidade para ficar calado, mas todo mundo vê a oportunidade para dar pitaco. Inclusive eu.


Muito bem amigos. Venho hoje escrever sobre um tema que muito tem me incomodado. Passei o dia refletindo sobre os noticiários que vejo, seja na tv, seja no rádio, seja nos jornais ou na internet.


Todos brasileiros, de uma maneira ou de outra sabem que a economia brasileira tem prosperado e  tem conseguido feitos que "nunca antes na história desse país" havia conseguido. Entretanto, quero postar, hoje, uma reflexão sobre como os meios de comunicação tem imposto o mesmo pânico que tem tomado conta dos mercados financeiros mundial, na sociedade de maneira a sugestionar uma entrada de todos nessa quase esquizofrenia e ou histeria. Tenho a impressão que a ditadura do "saber econômico" tomou de conta das ruas e das conversas cotidianas, pois todos discutem e sabem as regras e teoria da economia moderna, seja nas finanças pessoais, seja nas públicas e de mercados.


Sou uma apaixonado por economia e finanças. Mas o que há de pressão de forma camuflada dos mercados para inserir na sociedade uma discussão capitalista sem fim é quase uma coqueluche, para não dizer, um modismo desenfreado que faz da usura capitalista uma essência enlouquecida para devagar sobre números qualitativos e quantitativos ou sonhos quase impossíveis para boa parcela da população brasileira.É bem verdade que a mobilidade social tem se tornado real para alguns poucos. Ontem mesmo, ouvia na CBN dados divulgados pelo IBGE de que dois milhões de brasileiros ainda estão na completa miséria. Ora a minha reflexão que revelei acima tem razão de existir, quando vemos uma vala entre os mais abastados e aqueles que não tem ideia do que sejam mercado de capitais ou bolsa de valores, talvez agora sim, mesmo sem ter como participar do debate de forma direta esses dois milhões de brasileiros saibam como aplicar e manipular um home broker sem nem um real furado.


Sabemos dos mecanismos existentes e dos parâmetros que levam um país ao desenvolvimento, mas sabemos também que os sistemas que administram o capitalismo vivem um hiato  cada vez maior no ciclo de sua existência. Pode-se observar claramente o ocorrido nos países do velho continente e nos países da ásia que não vingaram de forma definitiva o conceito clássico de capitalismo. Indico China, Índia e Coréias.


Enfim, quando vejo o maior especulador/investidor americano (B. Buffet)  querendo que os impostos dos ricos sejam aumentados é porque torna-se necessário pensar onde e quando foi que houve um desequilíbrio nas margens de lucro,para cima, dos milionários que hoje tem o controle de toda a situação.


Não estou inferindo que tais milionários sejam responsáveis pelo desequilibrio socio-econômico mundial. Pelo contrário, são estes os grandes responsáveis por um mundo que passou pelo subdesenvolvimento e que agora atinge a ante sala do desenvolvimento. Com sua ousadia no empreendedorismo e coragem em grandes empreitadas comerciais.


O que quero expressar é que há sem sombras de dúvidas, uma situação no capitalismo que precisa ser revista, seja no conteúdo de suas teorias, seja na forma em que está distribuída pelo mundo.


Mas de qualquer forma o que se vê é uma sorriso largo nas senhoras comprando muito à vontade sapatos dos mais variados preços e marcas nos shopings centers  e nos homens de todas as idades nas concessionárias comprando seus carros novos de todas as marcas possíveis e inimagináveis.


As nossa autoridades governamentais nos passam muita segurança quando dizem que o Brasil está preparado para enfrentar mais esta crise. Correto, mas por quantos anos estaremos preparados?


Até quando o sistema capitalista irá suprir todas as necessidades sem que haja crise?
Outros podem escrever que essa massa de informação é necessária e são os frutos da democracia. Que seja, afinal todos nós queremos ter dinheiro e estar bem informados exercendo o direito de voto, voz e expressando todo e qualquer pensamento. Mas, o complicado é ver  quanta gente ainda  tem aspirado ser um milionário e nem sequer sabe se sobreviverá  a mais elevada taxa de juros do mundo e a um cartão de crédito que tem escravizado àqueles que utilizam desenfreadamente um pedaço de plástico como uma válvula de escape para suas frustrações e decepções diante dos objetivos freudianos que contaminam as compras do dia a dia.


.O Brasil tem jeito, o mundo tem jeito. O jeito é o dinheiro que vai dá.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000