Pular para o conteúdo principal

Bolsonaro no PL continua o mesmo de sempre

Na primeiras semanas de novembro o presidente da República Jair Bolsonaro anunciou sua filiação ao Partido Liberal, o que  ocorreria no dia 22 (número da sigla) , partido este criado em meados de 1985 pelo falecido Álvaro Valle.


O que isto significa? Para muitos nada, até porque já se sabe que Bolsonaro não iria para um partido de centro esquerda (Solidariedade, Podemos ou afins). Sim, ele continua o mesmo Bolsonaro falastrão e cheio de adjetivos pejorativos que a imprensa tradicional, hipócrita e suja costuma rótula-lo. 

O Sistema Politico  predominante no Brasil é elitista, maquiavélico e excludente. Não adianta acusar o PL ou PT de corruptos,  todos são iguais em se tratando de objetivos práticos: defender os interesses de seus proprietários. Se não é ilegal talvez seja imoral! 


Os partidos "são lojinhas";  comércios defendendo os seus interesses muitas vezes nebulosos e lucrativos. Crer em fidelidade partidária é o mesmo que crer em conto da carochinha. 


O clientelismo, corporativismo e fisiologismo predominam na prática da política brasileira a décadas,  não iria ser extinta pelo deputado de baixo clero que no contra fluxo do stablisment se elegeu legitimamente com anseios de mudanças estruturais na cultura do poder pelo poder. 


Bolsonaro continua o mesmo, a esquerda continua a mesma, a mídia suja e inescrupulosa continua a mesma apesar de viver uma crise de autoridade e credibilidade. 


Lembremos que o Centrão esteve, mesmo que pontualmente, com Bolsonaro em 2018,  somente após o segundo ano de governo é que os caciques definiram que não iriam morrer de inanição e partiram para um imobilismo legislativo sistemático e nada de projeto governista avançar no Congresso Nacional. A partição e distribuição do bolo orçamentário  sempre foi objeto principal do clientelismo.


Foi aí que houve uma troca de ministros alinhados ideologicamente com o presidente, sem resistência destes, com vistas a atender ao clientelismo rotineiro.  Nenhuma surpresa.


Quem de fato  irá mudar são os anti bolsonaristas, petistas e socialistas agasalhados no PL. Estes terão que mudar de sigla. Caso do Tiririca, deputado anti governista.


A maior surpresa não é a filiação do presidente  no partido do Centrão, quem deve estar surpreso são os esquerdistas,  socialistas fabianos e afins que ainda não acreditam que Bolsonaro tenha chegado até aqui às vésperas de mais uma eleição com aceitação popular elevada e "dentro da quatros linhas". 


Para estes Bolsonaro estaria preso, impeachmado ou mesmo morto.


O homem está aí governando, com muitas turbulências sim, contrariando todo o 'sistema', mas governando bem.


Bolsonaro pode ter mudado para muitos ; mas principalmente para Joice Hasselman, Alexandre Frota, Luis Miranda e Sérgio Moro além de alguns deputados distritais e estaduais que tiverem que se reinventar para sobreviver na política,  sim  sobreviver.


Só de não se ter nenhuma comprovação de corrupção nos quase quatro anos de governo,  já seria mais que suficiente para repetir o voto, todavia, os auxílios financeiros durante a pandemia me fazem refletir sobre o que aconteceria se as raposas vermelhas estivessem no comando central do Brasil. 

Bolsonaro precisa de um Partido para concorrer e mostrar os feitos realizados em sua gestão, portanto tempo de televisão, o PL tem.


Enfim, Bolsonaro é o mesmo de antes:  usava os partidos para se eleger. Trocou de sigla inúmeras vezes. Continua usando.


Certa ocasião entrevistei  um deputado do Centrão: Perguntei sobre a sua frenética mudança de partido e ele me respondeu taxativamente: "os eleitores não se lembrarão do Partido mas de mim nunca se esquecerão", emudeci. 

  




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Notícias do Planalto Central

Simbologia  A imagem (foto) marcante e mais simbólica da semana foi sem dúvida nenhuma a do governador Ibaneis Rocha na Ceilândia cercado de políticos "peso pesados" da Capital. Ladeado de Flávia Arruda (PL) o encontro sinaliza para uma aliança sólida neste ano de 2022.  'Puliça' O encontro de Ibaneis foi no reduto mais cobiçado da Capital, a Ceilândia (maior colégio eleitoral do DF), onde a foto fala mais do que qualquer palavra. O anfitrião,   o delegado Fernando Fernandes estava com sorriso de orelha a orelha com apoio e prestígio. O delegado deverá se filiar ao partido Republicanos com a benção de Ibaneis.  Volta à Cena O empresário e ex-senador  Luiz Estevão que agora goza de liberdade volta aos pouquinhos à cena política e parece já influenciar definitivamente alguns poucos  políticos da Capital, principalmente os distritais. Luiz tem política nas veias e participou discretamente de algumas "confras" ao lado da esposa Cleucy.   Decisão Fraga erra na tá

Coluna: Notícias do Planalto Central

Ex-governador Rollemberg Marketing reverso Na última semana de 2021, antes de assumir sua candidatura a deputado federal o ex-governador Rodrigo Rollemberg publicou um vídeo em que dizia do quanto dá trabalho cuidar das suas bezerrinhas. Fico imaginando o quanto é trabalhoso cuidar do seu curral eleitoral . Em tempo: no vídeo o político aparece todo sujo de esterco. Carnaval Atendendo a oração de muitos e mais ainda ao avanço de uma outra onda do vírus chinês o governador Ibaneis Rocha(MDB) cancelou o Carnaval de rua no DF. Ontem o vice Paco Britto anunciou não descartar um novo lockdown. "Saúde acima de tudo!"   Evangélicos Viver um paradoxo real é também ato de fé, na proporção em que a falta de Carnaval faz mal ao comércio e ao turismo da cidade, a pandemia do vírus chinês também faz mal à população deixando um rastro de pobreza (desemprego) e morte . O discurso dos evangélicos com referência ao fechamento das igrejas precisa encontrar um ponto de convergência ou

Coluna: Noticias do Planalto Central

Recesso Depois de duas semanas de folga a coluna Notícias do Planalto Central volta no mesmo ritmo da Câmara Legislativa: com muita leitura e atento aos movimentos dos deputados. Assim como muitos deles sedento por informações, já que estão com a boca fechada e não abrem por nada. Nesta fase de negociações os segredos devem ser preservados.  Busca por um partido Nesta toada de observações muitos distritais estão desesperados por um "lugar ao sol". Explico: Muitos dos que hoje são deputados não o serão no próximo verão. Mas não é só por causa das novas regras, a tal clausula de barreira e sim porque muitos dos excelentíssimos deixaram a desejar e são muitos ruins mesmo.  Mulheres Este colunista discorreu a relevância das mulheres nas próximas eleições e destaquei aquelas que irão concorrer à uma vaga de deputada federal. Leia lá .  O jogo muda completamente quando falamos das mulheres na Câmara Legislativa do DF. As distritais que hoje ocupam duas cadeiras poderão ficar ainda