Pular para o conteúdo principal

Opinião – CPI NA SAÚDE DO DF É OPORTUNISMO POLÍTICO


 

Com nome espetaculoso de Falso Negativo, e deveras sugestivo, pois poderia ser falsa a Operação do Ministério Público ou seria somente o nome? Que mandou prender na semana passada, a cúpula da Saúde por suspeitas de corrupção. Sim caros Amigos, suspeita. Não cabe entrar no mérito das investigações, já que o organismo para tal apuração é o próprio MP e a polícia.

Aqui vai o apelo de um cidadão para que se abram o sigilo das investigações. Em se tratando de dinheiro público deveriam ter mais transparência e respeito.

Assim como no jornalismo, a imparcialidade sempre tem de um lado o ativismo político nas diversas esferas do judiciário e é atuante vetor de influência na política brasiliense. Leve em consideração que atual Mandatário distrital militou nos diversos corredores do judiciário e ‘nem só de amigos vive o homem’.

Entretanto, todas as ações para o combate ao vírus chinês parecem ter sido tomadas diante da maior tragédia sanitária deste século, como exemplo, seguir à risca a cartilha dos órgãos de saúde e se antecipar ao isolamento social, fato polêmico e sem comprovação científica e portanto com posse do direito da dúvida.

Cabe destacar que o governador do DF além de ser o primeiro a tomar ações assertivas não polemizou nem entrou no “oba oba” de outros governadores. Ele realmente focou na solução do problema e não somente no problema. Ações essas que podem ser comprovadas com a notícia de que o DF, hoje 02/09, tem 90% de recuperados da Covid-19.

Se você tem diferentes respostas para salvar vidas, das que foram adotadas pelo governador, você é um forte candidato ao próximo Nobel de Medicina, o que acreditamos que não seja o caso.

Quiseram esticar as eleições de 2018, onde o segundo colocado perdeu de lavada a disputa e inconformado tentou ganhar no “tapetao” acusando o vencedor, Ibaneis Rocha de abuso de poder. “Perdeu playboy, perdeu.”

Curiosamente os dirigentes da saúde foram presos na semana em que o Tribunal Eleitoral deu sentença favorável ao vencedor do pleito. Seria revanchismo? No mínimo estranho, pode ser coincidência, porém, na política não existe coincidência.

É lógico que um mal feito não abona o bem feito, todavia o mal feito não passa de suspeitas e as provas robustas não vêm à tona por causa do sigilo.

Alguém já leu, viu ou fotografou o resultado de uma CPI?

Arroubos e a histeria atingiu a todos, mas principalmente os deputados mais volúveis e mediocres em sua atuação legislativa, já que necessitam desesperadamente de um palanque. Seria providencial que a pandemia durasse até meados de 2022? Mais precisamente mês de março? Se formos analisar os nomes da lista que assinaram a CPI da CLDF, percebe-se deputados com uma necessidade imensa de reeleição, ou seja, a preocupação com a população é mesmo prioridade?

Enfim, o cenário que desejam criar no DF neste momento, pode ser traduzido como uma forma sorrateira, oportunista e eleitoreira de desqualificar o atual governo.

Por : Hamilton Silva – Jornalista – DRT 11.815

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Bolsonaro ensaia ‘dobradinha’ com Ibaneis

  Foi hoje na posse do novo ministro Ciro Nogueira cacique do PP que Jair Bolsonaro disse:   “Dispenso comentários. Nós aqui somos um só governo. União e Distrito Federal é um casamento perfeito” , declarou Bolsonaro aos presentes na solenidade. O horizonte eleitoral é muito mais curto que os trezes meses até o pleito. Ibaneis Rocha (MDB) para governador e Jair Bolsonaro para presidência seria uma chapa imbatível no Distrito Federal. Ambos foram muito bem sucedidos em 2018  no quadrado do Planalto Central. Bolsonaro teve 69,99% cerca de 1.080.411 votos no segundo turno e Ibaneis Rocha recebeu 1.042.574 votos – o equivalente a 69,79% dos votos válidos. Bolsonaro é “raposa felpuda” com mais  de trinta anos de vivência  no Congresso Nacional e apesar de Ibaneis ter conquistado o seu primeiro mandato vem surpreendendo com quase 3 anos de uma gestão positiva ou do “bem”. O resultado eleitoral em 2018 jamais poderá ser ignorado sob pena de se repetir a derrocada de seus opositores. Opositore

Verdade nua e crua

 O jogo político está empatado, os atores da política nacional jogam no limite possível.  Não há como destituir o presidente Jair Bolsonaro do seu cargo. A oposição já sabe disso. Não vai trabalhar por impeachement , pois todas ações neste sentido passam pela aprovação da Câmara dos Deputados e o presidente Arthur Lira já deu sinais diferentemente de Rodrigo Maia  de ser um "homem de palavra".  Bolsonaro está acastelado. Ele tem o cargo de Presidente da República, o que não é pouca coisa, tem as ruas, os movimentos de milhões, ignorados pelos jornais e tem as Forças Armadas. Muito dificil derrubar. A oposição só tem uma chance de vencer Bolsonaro: Fraudando as Urnas e por isso o ponto de equilibrio desse jogo é a aprovação ou não da PEC 135/2019.  As estratégias adotadas pela oposição revelam o total desespero dos atores políticos, isto porque mal aprofundam as ações em curso como foi o caso do impeachement na Câmara dos Deputados e já implementam outra seguida do insucesso.