Pular para o conteúdo principal

O SOCIALISMO NÃO DEU CERTO NO MUNDO POR QUE HAVERIA DE DAR AQUI?



foto:internet
Foto do badernaço de novembro em 1986 onde os manifestantes destruíram a Rodoviária do Plano Piloto

Um Sistema Econômico onde a Mais Valia absoluta tem sua espinha dorsal não poderia ter sucesso no mundo moderno muito menos na capital projetada por comunistas. Projetos não funcionais, de estética única, mas disfuncionais.
Despretensioso faço algumas reflexões políticas da doutrina que fracassou no mundo e aqui não seria diferente. A única diferença dos outros lugares é o grau de miséria, corrupção e imoralidade implementado pela doutrina.
Mesmo tendo nos servidores públicos uma forte bandeira de lutas, o socialismo é tragado por sua ineficácia social e estatismo, mas essencialmente por sua natureza corrupta.
Quem não se lembra do Sindicato dos Rodoviários (um dos mais combativos) que tinha à sua frente P Celso que mais adiante assumiu cargo no governo e desapareceu por escândalos de corrupção. E dos Sindicatos dos Bancários que gerou vários sindicalistas corruptos.  Dentre muitos outros. Não quero isentar outros figurões bancados pelos recursos públicos, de outros partidos, mas a esquerda ganha de lavada dos demais. O que mudou para que os rodoviários, ou bancários, ou trabalhadores de maneira geral fossem, em suas mentes, cauterizadas o senso crítico? bolsa família, bolsa escola ou o financiamento de um carro popular?
 A minha "ficha' caiu aos 20 anos de idade e me senti alijado e vítima de uma fraude intelectual diante dos votos dados ao petismo populista.
Os parcos distritais socialistas eleitos são reflexos da ignorância intelectual oriunda da liberdade democrática pós ditadura, onde o marxismo cultural triunfou por décadas nas Instituições de Ensino Superior, haja vista no que se transformou a Universidade de Brasília. Onde há homenagens a  doutrinas e figuras contemporâneas do socialismo corrupto que faliu o DF. Palanque dos socialistas de iphone. Balbúrdias homéricas regadas a álcool e drogas não só no "Darcy Ribeiro", mas por todos campi. 
O conceituadíssimo, pela esquerda, professor Cristóvão Buarque caiu no ostracismo depois de dezesseis anos no Senado Federal e de ter deixado sua marca no GDF como sendo um dos piores governadores, mesmo tendo sido o criador do Bolsa Escola no Distrito Federal. Título (pior governador) dado pelos professores, aqueles que o idolatravam antes da gestão catastrófica, lembrando que o professor não era petista, nem pedetista por definição.
Até mesmo o Roriz, tido por muitos como sendo o melhor governador do DF, passou pelo PT e viu que lá não teria futuro. Teria sido lá contaminado pelo mosquito da corrupção? 
Outro que não era petista, mas que eu mesmo tive a oportunidade de apresentá-lo  à época ao deputado federal Jaques Wagner, foi o comunista do PCdoB e médico, Agnelo Queiroz que ainda era distrital. Passou pelo GDF somente por passar. Legado nenhum, talvez o da corrupção.
Finalizando o Comunismo/socialismo a Escola de Frankfurt, o marxismo cultural, e o politicamente correto são ferramentas de controle que decepam e aprisionam a democracia. Não deu certo em lugar nenhum do mundo, por que daria em Brasília?
Hamilton Silva é jornalista e economista - pós graduado em gestão financeira, diretor de Relações Institucionais da Associação Brasiliense dos Blogueiros de Política 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Notícias do Planalto Central

Simbologia  A imagem (foto) marcante e mais simbólica da semana foi sem dúvida nenhuma a do governador Ibaneis Rocha na Ceilândia cercado de políticos "peso pesados" da Capital. Ladeado de Flávia Arruda (PL) o encontro sinaliza para uma aliança sólida neste ano de 2022.  'Puliça' O encontro de Ibaneis foi no reduto mais cobiçado da Capital, a Ceilândia (maior colégio eleitoral do DF), onde a foto fala mais do que qualquer palavra. O anfitrião,   o delegado Fernando Fernandes estava com sorriso de orelha a orelha com apoio e prestígio. O delegado deverá se filiar ao partido Republicanos com a benção de Ibaneis.  Volta à Cena O empresário e ex-senador  Luiz Estevão que agora goza de liberdade volta aos pouquinhos à cena política e parece já influenciar definitivamente alguns poucos  políticos da Capital, principalmente os distritais. Luiz tem política nas veias e participou discretamente de algumas "confras" ao lado da esposa Cleucy.   Decisão Fraga erra na tá

Coluna: Notícias do Planalto Central

Ex-governador Rollemberg Marketing reverso Na última semana de 2021, antes de assumir sua candidatura a deputado federal o ex-governador Rodrigo Rollemberg publicou um vídeo em que dizia do quanto dá trabalho cuidar das suas bezerrinhas. Fico imaginando o quanto é trabalhoso cuidar do seu curral eleitoral . Em tempo: no vídeo o político aparece todo sujo de esterco. Carnaval Atendendo a oração de muitos e mais ainda ao avanço de uma outra onda do vírus chinês o governador Ibaneis Rocha(MDB) cancelou o Carnaval de rua no DF. Ontem o vice Paco Britto anunciou não descartar um novo lockdown. "Saúde acima de tudo!"   Evangélicos Viver um paradoxo real é também ato de fé, na proporção em que a falta de Carnaval faz mal ao comércio e ao turismo da cidade, a pandemia do vírus chinês também faz mal à população deixando um rastro de pobreza (desemprego) e morte . O discurso dos evangélicos com referência ao fechamento das igrejas precisa encontrar um ponto de convergência ou

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as