Pular para o conteúdo principal

IBANEIS DIZ A EMPRESÁRIOS QUE NÃO VAI OLHAR NO RETROVISOR

FOTO:

O governador eleito Ibaneis Rocha disse ontem (20/12) que é hora de olhar para a frente e buscar meios de resolver os problemas. “Não adianta fazer qualquer tipo de crítica (a governos passados), descemos do palanque. Agora é preciso governar, cuidar da esperança do povo. Não estamos aqui para falar mal de ninguém”, afirmou a uma plateia de cerca de 80 empresários goianos, que estiveram em um jantar promovido pela Associação Pró-Desenvolvimento Industrial do Estado de Goiás – Adial, em Brasília.

“Não adianta dizer que vou receber o governo com uma dívida de R$ 3 bilhões, isso só causa depressão. Se for isso, vamos transformar em progresso, pagar as contas e resolver os problemas. Nada de retrovisor”, disse. Ibaneis Rocha apresentou suas propostas para o desenvolvimento da Região Metropolitana, dizendo que a prioridade de seu governo é criar empregos.

O presidente da Adial-Brasil, José Alves Filho, afirmou que os empresários de Goiás estão de mãos dadas com o projeto do governador para fazer do Entorno do DF, Goiás e Centro-Oeste uma região próspera. Mas, para isso, ressaltou a necessidade dos governos darem incentivos fiscais para que os empresários invistam mais. 

O governador Ibaneis Rocha fez questão de dizer que quer manter uma relação harmônica com o governador eleito de Goiás, Ronaldo Caiado. “Eu não quero guerra. Sei que muitos aqui estão insatisfeitos com ele, mas quero o governador Caiado neste projeto”, afirmou.
“A Região Metropolitana é talvez a região mais pobre de Goiás, tem o maior índice de criminalidade, maiores problemas na saúde e educação”, ressaltou Ibaneis, afirmando que é possível integrar a região por meio da geração de emprego, incentivando os empresários a investir.


Na mesma reunião, o futuro presidente do Banco de Brasília, Paulo Henrique, afirmou que os empresários vão conhecer um BRB diferente. “Será um banco focado no desenvolvimento, mais ágil, menos burocrático, moderno e integrado a esta política de desenvolvimento que está sendo construída”, disse.

O futuro secretário de Fazenda, André Clemente, ressaltou a importância do jantar e da presença de grandes empresários. “Não vamos falar de crise, vamos falar de soluções. Nosso projeto passa por mais infraestrutura econômica, ajuste de carga tributária, redução de burocracia, capacitação de mão de obra, muita tecnologia e integração entre o DF e Goiás; o governador sabe a força que Goiás tem, nós não vamos brigar, vamos andar juntos”, disse. 

O governador Ibaneis Rocha disse que os empresários que quiserem investir na região terão todo o apoio do Distrito Federal e fez um apelo para que todos ajudem a aprovar a Medida Provisória, que agora está no Congresso Nacional.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000