NOTICIAS DO PLANALTO CENTRAL; OS BASTIDORES DA POLITICA DE BRASÍLIA, FRENETICAMENTE SE IMPÕEM


Por aqui a seca já passou faz tempo, a poeira e racionamento d'água deram lugar à lama e a buracos no asfalto que me remete aos vazios econômicos deixado nas contas do GDF.

A pouco mais de um mês de mudarmos definitivamente a história da capital, ainda tenho receio de expressar minhas angústias e análises sobre a capital, nem parece que vivo numa democracia. Tudo isso devido aos clamores socialistas paraestatais.

Aqui o babado é o movimento nos órgãos de governo para posse das novas autoridades públicas que resultaram em muito trabalho e articulação politica por parte do governador eleito. As eleições da OAB, que ocorrem amanhã está freneticamente agitada nos fazendo lembrar das acirradas eleições gerais desse ano, inclusive o baixo nível.

O governador que sai já protagoniza no ostracismo e já figura o passado. Com ele sai muita desesperança e imobilismo governamental. Sai também alguns acadêmicos que fracassaram na difícil missão de tirar o DF do fundo do posso.

A esperança não está numa situação somente, mas no conjunto delas, o ambiente já mudou, está mais leve e receptivo. A Câmara Legislativa do Distrito Federal se renovou e pode protagonizar ventos de prosperidade para o Plano Alto.

Dizem as más línguas e a diplomacia confirma que um vigésimo quinto distrital não pega bem para ninguém. Influências externas ferem a autonomia de qualquer legislativo. O lobby nunca foi reconhecido legalmente devido aos males que podem proporcionar ao poder público.

Apesar dos tempos difíceis os fatos recentes: saída de muitos chegada de outros tantos me leva a crer na grandeza da força do trabalho e no poder de empreender de nosso povo.

Há por parte do governador eleito muita sensibilidade para com os menos assistidos e uma mescla de gestores por ele escolhido, que pode resultar em excelentes políticas públicas, resta saber se a LRF vai deixar ou se a bengala vai prevalecer. Não podemos esquecer a dificuldade em escolher os titulares das pastas da saúde e transportes, por exemplo. Isso denota o grau de complexidade numa escolha com tantas variáveis a serem analisadas, o governador eleito tem-se utilizado de todo tempo da transição disponível para essas escolhas conectado com a assertividade.

A onda Ibaneis veio pra ficar deixando a sensação de ser um "novo Roriz", pós-moderno, claro.

Caro amigo leitor, muitas movimentações de bastidores estão ocorrendo, mas a prudência e compromisso com a ética nos faz ignorar muitas fofocas e boataria. Temos compromisso com a informação e refutamos a especulação.
Até a próxima.

Hamilton Silva é jornalista com DRT 11.815
Postar um comentário
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial