Pular para o conteúdo principal

GOVERNO IBANEIS DEVERÁ DIMINUIR IMPOSTOS

André Clemente é o secretário da fazendo no governo Ibaneis


IPVA, IPTU e outros impostos terão alíquota reduzida no DF

Variação será sentida diretamente no bolso do contribuinte: IPVA ficará até 1% mais barato, conforme antecipou futuro secretário da Fazenda

Por:Caio Barbieri e Isadora Teixiera
Reduzir para aumentar. A lógica é da área econômica do próximo Governo do Distrito Federal, que pretende baixar o valor de impostos regionais com o objetivo de melhorar a arrecadação.

A ideia foi confirmada pelo futuro secretário de Fazenda, André Clemente, que estuda uma variação decrescente de impostos como o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e outros mais específicos sobre transferência de imóveis, como Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD).
 

Reduzir para aumentar. A lógica é da área econômica do próximo Governo do Distrito Federal, que pretende baixar o valor de impostos regionais com o objetivo de melhorar a arrecadação.

A ideia foi confirmada pelo futuro secretário de Fazenda, André Clemente, que estuda uma variação decrescente de impostos como o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e outros mais específicos sobre transferência de imóveis, como Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD).

Sem apontar diretamente a redução, o nome de confiança do governador Ibaneis Rocha (MDB) para administrar as contas públicas garante que haverá alterações também no ICMS.

Segundo Clemente, a tendência é de corte de 0,5% na cobrança do IPVA: a queda será dos atuais 2,5% para 2% para motocicletas, quadriciclos e triciclos; e de 3,5% para 3%, para automóveis, caminhonetes, utilitários e demais veículos. A diferença, na prática, será sentida no bolso do brasiliense. Como exemplo, proprietários de carros com valor de mercado de R$ 40 mil terão em média uma redução de R$ 875 para R$ 750, comparando com o imposto cobrado este ano.

“Vamos fazer uma revisão em todos os impostos do Distrito Federal, principalmente naqueles que tiveram aumentos recentes. Hoje, a inadimplência apenas com o IPTU é de 50%. Vamos baixar o valor final, só estamos analisando se será por redução da alíquota ou se na forma de cálculo. Não vamos aumentar imposto de forma alguma, aconteça o que acontecer”, prometeu Clemente.

A ideia, segundo o futuro secretário, é já levar o assunto ao governo de transição e, consequentemente, à Câmara Legislativa. Apesar disso, a expectativa e de que a análise ocorra apenas no ano que vem, o que levará com que os novos valores passem a vigorar apenas em 2020.

“A gente está baixando a carga tributária para que o cidadão realmente possa pagar seus impostos e, a partir daí, tenhamos uma saúde financeira”, completou. “Essas reduções precisam ter, em contrapartida, um efeito na economia e no retorno para a população, seja na criação de emprego, seja no aumento da capacidade de gasto, e não isoladamente na dedução”, afirmou.

Clemente também anunciou a taxa de 4% sobre o valor do Imposto sobre o ITCD. Já para calcular o ITBI, a alíquota deve cair de 3% para 2%. “Tudo será feito com transparência e seriedade, respeitando a Lei de Responsabilidade Fiscal e os impactos orçamentários financeiros. Isso terá um impacto positivo.”






Fonte: Metrópoles

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000