Pular para o conteúdo principal

ANALISTAS BATEM CABEÇA, POLÍTICOS BRIGAM POR PODER E O ELEITOR ASSISTE ATÔNITO A TUDO

Foto: Internet
Acabou a copa do mundo de futebol (sem empolgação) e o que assistimos na internet, mas principalmente nos grupos de whatsapp é  uma verdadeira guerra de informação e desinformação. E o pior , parece que as agressões e proselitismos não cessam.


Analistas - Jornalistas, analistas e cientistas políticos parecem baratas tontas com tanta informação passadas uns aos outros e nada tangível. Como diria minha mãe; "Nada que se aproveite". Fato é que nem mesmo nem os experts estão a vontade com tanta imprevisibilidade. O jogo está aberto que nem mesmo os lúcidos conseguem arriscar algum prognóstico ou sinalizam um `Gran Finale`.


Políticos - Detentores de recursos financeiros, muitos deles públicos, continuam numa fome canibalesca pelo poder. Alguns deles multimilionários, passam rasteiras, puxam tapetes de possíveis parceiros com único objetivo: habilitar-se ao governo e para muitos manter suas boquinhas.

O fim justifica os meios, afinal cargos, grana (muita grana), poder e mais poder pelo poder demonstram uma desesperadora vontade de poder ainda mais.
alguns afirmam que ser político é exercer a arte do diálogo, mas na minha visão essa arte está mais para enganação, sedução e mentiras. Deixando o maior interessado fora  dessa partilha de bolo.

Alguns deles, viram radialistas, outros fazem programas via internet, mas proposta que é bom nada. Uma total desconexão com os interesses sociais.

Eleitor
O besta, o otário, a vitima? Não amigo, o eleitor é "parça": se pudesse levar uma pontinha faria sem choro nem vela.

O que ocorre é uma tremenda enganação, tudo parece resolvido, fechado e acordado. Puro teatro.

Na próxima segunda-feira já teremos um Norte, uma indicação de como alguns agentes políticos poderão se comportar devido ao prazo ditado pelo Tribunal Eleitoral do dia 05 como sendo a data de convenções partidárias. E aí, muito das especulações findam. E o pleito de outubro rompe uma fase importante: AS ESCOLHAS DOS NOMES OFICIAIS. Creia sobreviveremos.


Hamilton Silva - Jornalista/Economista

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000