Pular para o conteúdo principal

VAMOS CONVERSAR SOBRE PRODUTIVIDADE

Foto: Internet



A maioria dos nossos especialistas em crescimento do PIB acha que produtividade é produzir mais no mesmo espaço de tempo.


Quanto mais se produzir mais se ganha, inclusive salários.


Marx foi um dos que mais disseminou essa ideia, mas olhando do outro lado, que o trabalhador não estava ganhando tudo o que produzia, a chamada “mais valia”.


Por isso, países que seguem Marx ou Harrod-Domar se esforçam em aumentar a produtividade do trabalhador 5% a 10% ao ano.


São taxas de produtividade elevadas, a longo prazo estressantes de se conseguir.


Países que seguem Peter Drucker e Michael Porter há muito tempo descobriram a melhor forma possível de aumentar a produtividade.


1000%, já no primeiro ano, sem stress, sem pesados investimentos do BNDES.


Racionalizando, muitas vezes até eliminando a tarefa.


A renda per capita no Brasil poderia ser hoje o dobro se tivéssemos lido menos Marx e Domar e mais Drucker e Porter.


Começando por eliminar o quanto desperdiçamos de tempo, material, tarefas inúteis, controles repetitivos.


No transporte ao trabalho, no preenchimento de informações que o governo não usa, nas escolas aprendendo matérias inúteis, no governo construindo pontes desnecessárias ou comprando vagões que jamais serão usados.


Nossos vendedores brasilienses perdem tempo digitando o CPF do cliente para que o Estado distribua um prêmio no Nota Legal


Tarefa que reduz a produtividade dos caixas e vendedores e reduz, portanto os seus salários..


Que só pensou em quanto o Estado arrecadaria a mais de impostos e não em quanto reduziria a produtividade do setor privado.


Mais um exemplo concreto de como ouvimos as pessoas erradas nesse país e como elas enriquecem o Estado e empobrecem o país.


Leia também





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000