Pular para o conteúdo principal

O BODE EXPIATÓRIO

foto: Divulgação
Deputado Alberto Fraga foi vitima de Fake News

Não tenho procuração para defender, nem conheço o deputado Alberto Fraga (DEM-DF), não sou eleitor do parlamentar e tenho sérias divergências com o policial militar da reserva,  que foi secretário de governo, mas o que estão fazendo com ele é uma "sacanagem", me perdoem o palavreado.
O que está por detrás desse ataque desproporcional e de desqualificação pessoal é um confronto ideológico, um confronto de pautas completamente divergentes. Não é a toa que a poderosa Rede Globo tem sido generosa em divulgar com detalhes sórdidos o assassinato da vereadora carioca.
O deputado por Brasília foi humildemente em rede nacional pela TV Globo e reconheceu o erro, mas para os socialistas atrasados isso não é suficiente, tem que humilhar, tem que execrar e esculachar.
Mas o estardalhaço feito pela Globo e por outros agentes da esquerda contra Alberto Fraga não é obra do acaso. Isso é um estratagema com o objetivo de intimidar todo e qualquer opositor de expressão que não seja de esquerda e que não apoie essa agenda de aviltamento moral da sociedade brasileira, a exemplo da ideologia de gênero, que a Globo quer a todo custo e impõe às famílias brasileiras.
A pressão é gigantesca devido ao fato ideológico, mas também é questão eleitoral esse é ponto nevrálgico,  haja vista que o partido que teoricamente substituiria o Partido dos Trabalhadores nas principais capitais do Brasil tem graves problemas para superar a clausula de barreira, ou seja, aqui em Brasília o partido que pressiona cidadãos de bem pode não eleger nenhum parlamentar, Portanto é urgente que eles se mantenham diuturnamente na mídia a qualquer custa.
É por isso que o Coronel Alberto Fraga tem minha solidadriedade! E não devemos mais proporcionar ibope aos politicamente incorretos que fizeram do cadáver um totem de idolatria.

Por: Hamilton Silva

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Bolsonaro ensaia ‘dobradinha’ com Ibaneis

  Foi hoje na posse do novo ministro Ciro Nogueira cacique do PP que Jair Bolsonaro disse:   “Dispenso comentários. Nós aqui somos um só governo. União e Distrito Federal é um casamento perfeito” , declarou Bolsonaro aos presentes na solenidade. O horizonte eleitoral é muito mais curto que os trezes meses até o pleito. Ibaneis Rocha (MDB) para governador e Jair Bolsonaro para presidência seria uma chapa imbatível no Distrito Federal. Ambos foram muito bem sucedidos em 2018  no quadrado do Planalto Central. Bolsonaro teve 69,99% cerca de 1.080.411 votos no segundo turno e Ibaneis Rocha recebeu 1.042.574 votos – o equivalente a 69,79% dos votos válidos. Bolsonaro é “raposa felpuda” com mais  de trinta anos de vivência  no Congresso Nacional e apesar de Ibaneis ter conquistado o seu primeiro mandato vem surpreendendo com quase 3 anos de uma gestão positiva ou do “bem”. O resultado eleitoral em 2018 jamais poderá ser ignorado sob pena de se repetir a derrocada de seus opositores. Opositore

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização