Pular para o conteúdo principal

EMPRESÁRIOS LANÇAM MOVIMENTO PARA ACELERAR MERCADOS DIGITAIS NO DF

FOTO: Santa Fé - Hamilton Silva


IntegraDFAuto é primeira edição do programa que articula oportunidades para empresários investidores em negócios de plataformas digitais.

Uma iniciativa que busca estabelecer um ambiente de expansão econômica do setor de prestação de serviços, no Distrito Federal, em que empresários terão oportunidades de negócios em plataformas digitais. É o que propõe o IntegraDF – Programa de Aceleração de Mercados Digitais – que terá a primeira rodada, voltada para o setor automotivo, lançada no próximo dia 10 de outubro, no Auditório da FecomércioDF.

Marcos Nascimento, um dos idealizadores e fomentador de negócios digitais, destaca que o programa de aceleração de mercados digitais é um movimento abrangente que deseja ampliar as possibilidades negócios no DF, saindo da lógica de um modelo tradicional para uma escala maior. “A ideia é trazer empresas e os próprios varejistas para fazer parte de algo muito maior que só o negócio dele. Estamos lançando um movimento, chamado IntegraDF, que tem por objetivo criar um canal digital e incremental para as empresas com os benefícios de conexões em cadeia”.

Segundo Marcos, o desafio é criar um ciclo virtuoso de crescimento para empresas, entidades e agentes da economia do Distrito Federal em um movimento contínuo para o crescimento sustentável da economia regional. “Queremos, via cadeias produtivas de valor da economia, conectar esses atores com o consumidor, através do smartphone. Esse é o conceito do IntegraDF, pois em conjunto fica mais fácil de comunicar e interagir com todos os consumidores, gerando economia de escala e vários benefícios como: transparência, eficiência e agilidade por meio de movimento colaborativo, que além disso, reduz o desperdício com a falta de previsibilidade, planejamento e estoques inadequados. Agora, se integrarmos, fica mais fácil atrair os consumidores. Criamos esse modelo muito mais direto, que pode beneficiar não só o consumidor, mas também toda a escala produtiva, toda a cadeia produtiva.”.

O IntegraDF segue também o modelo de co-criação desde a idealização do modelo de parceria. O movimento é liderado por empresas e entidades de Brasília como a Caas Ventures, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF), a ACDF - Associação Comercial do Distrito Federal, a Cotidiano – Aceleradora de Startups, o Instituto Illuminante, a Santafé Ideias e a G Corporation – Estratégia e Negócios.

A Federação do Comércio apoia o movimento por entender que é preciso levar inovação e tecnologia para as empresas e criar um ambiente de sinergia entre os empresários brasilienses. “Apoiamos todas as iniciativas que beneficiam o empresariado. Hoje, não importa se você é grande ou pequeno, mas todos precisam estar inseridos no ambiente digital. Movimentos como o IntegraDF ajudam a criar soluções para as empresas utilizarem a internet a seu favor e ampliam a sustentabilidade econômica dos negócios”, ressalta o presidente da Fecomércio, Adelmir Santana. “Além disso, os consumidores também ganham, pois a partir do momento em que as empresas investem em inovação, os clientes passam a ter acesso a serviços mais eficientes e com maior qualidade”, completa Adelmir.

IntegraDF Edição Auto – A partir do conceito central do IntegraDF, alavancagem de negócios por nichos de mercado por meio de celulares, Marcos Nascimento ressalta que “o smartphone ajuda a conectar, a identificar o consumidor e poder fazer um trabalho de relacionamento e micro marketing. Estamos focando por nichos, e focamos como primeiro o nicho automotivo”.

A Edição Auto,  segundo os idealizadores, é composta por soluções digitais que conectam a cadeia produtiva e pelo aplicativo que vai estar nas mãos dos usuários. “Conectamos o motorista com o prestador de serviços, com o sistema automotivo, então podemos conectar ele com oficinas, com estacionamentos, com postos de combustível, com seguradoras, consórcios, compra e venda de veículo, etc.. É um marketplace mobile que integra todo o ecossistema automotivo. Produtos, serviços, é qualquer negócio é integrado”, lista o idealizador.

“Brasília tem quase 2 milhões, se somarmos o entorno, tem quase 3 milhões de veículos. Queremos criar algo daqui do DF. Vamos mudar o cenário econômico local do mercado automotivo. Por isso estruturamos o IntegraDF, que só vai funcionar se tiver aderência, ou seja, se as empresas que prestam serviços automotivos, estiverem integradas. Por isso, estamos convidando todos os empresários do segmento para juntos fazermos a transformação digital e ganhar mercado, não somente local mas global, afinal a solução é digital e não existem fronteiras. Você melhora o atendimento, comodidade, comunicação e toda uma estrutura de valor com esse modelo de interação direto no celular”.

A plataforma também irá beneficiar o próprio consumidor “que compartilha os dados básicos do seu veículo e sua quilometragem semanal” que serão transformados em informações necessárias para indicar serviços e produtos certos nos momentos adequados. Vamos ter linha de acessórios, manutenção, seguro, rastreamento, então você pode comprar tudo por ali, é uma central de comunicação completa para o motorista. Neste modelo, todo mundo sai ganhando. Esta é a nossa intenção”.

Serviço:
Lançamento do IntegraDF Edição Auto
Programa de Aceleração de Mercados Digitais
Data: 10 de outubro de 2017 (terça-feira)
Horário: 19h.
Local: FecomércioDF – Auditório principal
Setor Comercial Sul Quadra 6 - Brasília Edifício Newton Rossi
Inscrições e informações: www.caas.vc/integradf

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000