Pular para o conteúdo principal

PRÉ-CANDIDATA QUER O CENTRO DO PODER NA PERIFERIA

FOTO: ABBP - HAMILTON SILVA
Anjuli Tostes ladeada do presidente Toninho do PSOL
Com muitos predicados e desenvoltura, a pré-candidata do PSOL ao governo de Brasília foi sabatinada por esse blog e por mais membros associados da ABBP (Associação dos Blogueiros de Política de Brasília) nesta segunda-feira(25), na sede da ACDF (Associação Comercial do DF) e marcou  o início da parceria entre as instituições "candangas".
Advogada
Com 31 anos, ex-aluna do Colégio Militar e advogada, Anjuli Tostes é Auditora Fiscal da CGU e respondeu inúmeras perguntas de jornalistas e blogueiros referentes a temas diversos. Discorreu sobre seu ativismo político e confessou estar filiada ao PSOL desde abril de 2017.
Prévias
Com cinco candidatos, o Partido Socialismo e Liberdade -PSOL deverá realizar a escolha de uma cadidatura própria no próximo dia 30 de outubro próximo, a saber:  Anjuli Tostes, Cleiton Avelar, Beatriz Vargas, Márcia e Barão Veloso Apesar de não pertencer ao bloco  (Ação Popular Socialista)majoritário do partido, Anjuli lidera a disputa interna. 
"Não vale a pena se não for um programa construído pela sociedade do Distrito Federal", respondeu quando indagada sobre seu  plano de governo, e completou: "A periferia é o Centro e existe um fosso entre representantes e representados"
A pré-candidata ao governo do DF, se eleita,  promete  abrir mão da residência oficial de Águas Claras, do carro e  do motorista oficial. " Também se comprometeu a fazer a opção por continuar a receber salário de auditora da CGU, ao invés de receber o salário por ocupar a função de Governadora  E se compromete: "Vou propor que não haja mais privilégios  à disposição das autoridades". Anjuli, que  se mudou recentemente para a cidade satélite conhecida como Agrovila   São Sebastião, próxima do Lago Sul, vai continuar morando na sua residência  por não ver dificuldades logísticas nisso. "Essas medidas serão tomadas, não só pela economia, mas para reduzir o fosso entre o povo e os governantes", disse.
Na opinião da pré-candidata, a distância que existe entre a população e os governantes é imensa e isso precisa ser revisto. O eleito nada mais é do que um servidor público designado pelo voto do povo e que tem a obrigação de estar sempre mais próximo das vontades e das bases que o elegeram. “Caso eu seja eleita, minha intenção é estar sempre no mesmo nível do povo, respeitando obviamente as questões institucionais. Vou abrir mão de utilizar a residência oficial de Águas Claras transformando-a num centro social,por exemplo, carro e motorista, e continuarei morando em São Sebastião. Irei propor que não haja privilégios à disposição das autoridades e abrirei mão de meu salário de governadora optando por receber somente o que ganho como auditora da CGU, pois avalio que isso é uma forma de economizar num momento de grande recessão”, afirmou Anjuli Tostes.
Alianças
Com a presença do também candidato Toninho, a  sabatina ,com cara de coletiva, orbitou na esfera do pleito de 2018 atrelado ao imenso desafio que é ampliar a densidade eleitoral da legenda, já que muitos dos socialistas brasilienses ficaram órfãos do Partido dos Trabalhadores e PSB. Toninho ratificou a impossibilidade de aliança com o PT e disse existir a possibilidade em ampliar o formato de escolhas para as candidaturas ao Buriti.
Foto: Poliglota- Hamilton Silva
Candidata foi recebida na sede da ACDF pelo blogueiros de Política.

Ideologia
Mesmo com discurso fortemente ideológico, Anjuli Tostes disse não acreditar que o povo queira discutir ideologia, mas  sim que seus problemas sejam resolvidos.
Afirmou não aceitar dinheiro de banqueiros nem de grandes empresários,entretanto, considera que para investimentos de infraestrutura, por exemplo,será imprescindível  recursos provenientes dos Bancos de fomento como BNDES e BID.  Tomara que os eleitores de Brasília possam de fato cobrar todos estes compromissos assumidos por Anjuli.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Notícias do Planalto Central

Simbologia  A imagem (foto) marcante e mais simbólica da semana foi sem dúvida nenhuma a do governador Ibaneis Rocha na Ceilândia cercado de políticos "peso pesados" da Capital. Ladeado de Flávia Arruda (PL) o encontro sinaliza para uma aliança sólida neste ano de 2022.  'Puliça' O encontro de Ibaneis foi no reduto mais cobiçado da Capital, a Ceilândia (maior colégio eleitoral do DF), onde a foto fala mais do que qualquer palavra. O anfitrião,   o delegado Fernando Fernandes estava com sorriso de orelha a orelha com apoio e prestígio. O delegado deverá se filiar ao partido Republicanos com a benção de Ibaneis.  Volta à Cena O empresário e ex-senador  Luiz Estevão que agora goza de liberdade volta aos pouquinhos à cena política e parece já influenciar definitivamente alguns poucos  políticos da Capital, principalmente os distritais. Luiz tem política nas veias e participou discretamente de algumas "confras" ao lado da esposa Cleucy.   Decisão Fraga erra na tá

Coluna: Notícias do Planalto Central

Ex-governador Rollemberg Marketing reverso Na última semana de 2021, antes de assumir sua candidatura a deputado federal o ex-governador Rodrigo Rollemberg publicou um vídeo em que dizia do quanto dá trabalho cuidar das suas bezerrinhas. Fico imaginando o quanto é trabalhoso cuidar do seu curral eleitoral . Em tempo: no vídeo o político aparece todo sujo de esterco. Carnaval Atendendo a oração de muitos e mais ainda ao avanço de uma outra onda do vírus chinês o governador Ibaneis Rocha(MDB) cancelou o Carnaval de rua no DF. Ontem o vice Paco Britto anunciou não descartar um novo lockdown. "Saúde acima de tudo!"   Evangélicos Viver um paradoxo real é também ato de fé, na proporção em que a falta de Carnaval faz mal ao comércio e ao turismo da cidade, a pandemia do vírus chinês também faz mal à população deixando um rastro de pobreza (desemprego) e morte . O discurso dos evangélicos com referência ao fechamento das igrejas precisa encontrar um ponto de convergência ou

Coluna: Noticias do Planalto Central

Recesso Depois de duas semanas de folga a coluna Notícias do Planalto Central volta no mesmo ritmo da Câmara Legislativa: com muita leitura e atento aos movimentos dos deputados. Assim como muitos deles sedento por informações, já que estão com a boca fechada e não abrem por nada. Nesta fase de negociações os segredos devem ser preservados.  Busca por um partido Nesta toada de observações muitos distritais estão desesperados por um "lugar ao sol". Explico: Muitos dos que hoje são deputados não o serão no próximo verão. Mas não é só por causa das novas regras, a tal clausula de barreira e sim porque muitos dos excelentíssimos deixaram a desejar e são muitos ruins mesmo.  Mulheres Este colunista discorreu a relevância das mulheres nas próximas eleições e destaquei aquelas que irão concorrer à uma vaga de deputada federal. Leia lá .  O jogo muda completamente quando falamos das mulheres na Câmara Legislativa do DF. As distritais que hoje ocupam duas cadeiras poderão ficar ainda