Pular para o conteúdo principal

ARRECADAÇÃO SOBE, MAS GDF AFIRMA QUE CONTAS CONTINUAM NO VERMELHO

FOTO : INTERNET - Hamilton Silva

Em tempos de ameaça de parcelamento de salários de servidores, o Governo do Distrito Federal teve uma melhora na arrecadação de impostos e taxas em agosto de 2017. Ao todo, recebeu dos contribuintes R$ 1,2 bilhão, montante 5,14% maior do que no mesmo período de 2016, quando a arrecadação atingiu a marca de R$ 1,1 bilhão.
O percentual representa o retorno do crescimento real da arrecadação. Com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), inflação oficial brasileira, em 2,46%, o aumento nominal dos tributos ficou em 2,68%. Mesmo assim, o GDF mantém o discurso de que a única salvação para garantir o pagamento integral da folha é a aprovação, pela Câmara Legislativa, do PLC nº 122/2017, que altera as regras da previdência dos servidores.

Depois do resultado desastroso do mês de julho, a alta na arrecadação foi impulsionada por dois fatores. O Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) registrou incremento de 79,64% em agosto, se comparado ao mesmo mês de 2016. Já o Imposto Sobre Serviço (ISS) bateu recorde neste ano, com alta de 16,98%. Os dois tributos têm impactos diferentes no cenário econômico local, mas trazem “otimismo” para o governo.
De acordo com o secretário de Fazenda do DF, Wilson de Paula, o acréscimo no percentual do IPVA está associado às políticas de cobrança realizadas pela pasta. “Estamos buscando um fisco mais colaborativo. De ligar, de avisar, de não deixar gerar multa para o contribuinte. É uma nova postura de monitoramento que começa a fazer efeito”, diz. A exigência do licenciamento dos veículos a partir de 1º de setembro também motivou uma corrida dos proprietários para quitar seus débitos.
O aumento no ISS, por sua vez, demonstra uma recuperação da economia. “É o maior ISS de 2017. Junto com ele, tivemos uma alta do ICMS de 3,21%. Os dois estão diretamente associados à atividade econômica. É um movimento nacional de retomada da economia. Os índices vão aflorando e nos deixam mais animados”, completa o chefe da pasta de Fazenda.
No entanto, ele faz ressalvas: “Ficamos otimistas, mas estamos muito distantes de um ponto de equilíbrio”. Segundo o secretário, o pagamento dos fornecedores ainda está dois meses atrasado; faltam R$ 170 milhões para pagar aposentados; e, em pecúnia, a dívida é de R$ 190 milhões. “O nosso único plano para não parcelar salários é a aprovação do PLC 122/2017”, ressalta.
Números
O IPVA representou um montante de R$ 48,1 milhões para o GDF em agosto de 2017, contra os R$ 26,8 milhões do mesmo mês de 2016. O ISS chegou a R$ 138,5 milhões no mês passado, contra R$ 118,4 milhões em agosto de 2016.

O ICMS, que é o índice de maior representatividade nas contas, alcançou R$ 619,9 milhões, em comparação aos R$ 600,6 milhões de agosto de 2016. Em maio e junho deste ano, o imposto teve queda e só voltou a se recuperar em julho, com 0,94%. Por isso, os 3,21% são significativos.
No acumulado dos oito meses de arrecadação com impostos e taxas, o GDF recebeu R$ 9,8 bilhões. Um crescimento de 2,57% em comparação com o mesmo período de 2016. Os dados preliminares são do Sistema Integrado de Gestão Governamental (Siggo).
“Precisamos, agora, trazer Brasília para a normalidade. Respirar para pensar novas políticas públicas. Por isso, a importância do PLC 122. Temos uma folha de pessoal que cresce todos os meses. O valor chega a R$ 1,5 bilhão, sem contar a segurança e os percentuais de saúde e educação cobertos pelo Fundo Constitucional”, destaca Wilson de Paula.
Confira os números da arrecadação em agosto de 2017:
Impostos e taxas em geral
R$ 1.208.475.639,52

ICMS
R$ 619.989.131,81

ISS
R$ 138.586.919,54

IPVA
48.178.027,26

IPTU
71.426.310,38

Acumulado dos oito meses de 2017
R$ 9.840.262.233,01

 Por: Manoela Alcântara do Metrópoles

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Notícias do Planalto Central

Simbologia  A imagem (foto) marcante e mais simbólica da semana foi sem dúvida nenhuma a do governador Ibaneis Rocha na Ceilândia cercado de políticos "peso pesados" da Capital. Ladeado de Flávia Arruda (PL) o encontro sinaliza para uma aliança sólida neste ano de 2022.  'Puliça' O encontro de Ibaneis foi no reduto mais cobiçado da Capital, a Ceilândia (maior colégio eleitoral do DF), onde a foto fala mais do que qualquer palavra. O anfitrião,   o delegado Fernando Fernandes estava com sorriso de orelha a orelha com apoio e prestígio. O delegado deverá se filiar ao partido Republicanos com a benção de Ibaneis.  Volta à Cena O empresário e ex-senador  Luiz Estevão que agora goza de liberdade volta aos pouquinhos à cena política e parece já influenciar definitivamente alguns poucos  políticos da Capital, principalmente os distritais. Luiz tem política nas veias e participou discretamente de algumas "confras" ao lado da esposa Cleucy.   Decisão Fraga erra na tá

Coluna: Notícias do Planalto Central

Ex-governador Rollemberg Marketing reverso Na última semana de 2021, antes de assumir sua candidatura a deputado federal o ex-governador Rodrigo Rollemberg publicou um vídeo em que dizia do quanto dá trabalho cuidar das suas bezerrinhas. Fico imaginando o quanto é trabalhoso cuidar do seu curral eleitoral . Em tempo: no vídeo o político aparece todo sujo de esterco. Carnaval Atendendo a oração de muitos e mais ainda ao avanço de uma outra onda do vírus chinês o governador Ibaneis Rocha(MDB) cancelou o Carnaval de rua no DF. Ontem o vice Paco Britto anunciou não descartar um novo lockdown. "Saúde acima de tudo!"   Evangélicos Viver um paradoxo real é também ato de fé, na proporção em que a falta de Carnaval faz mal ao comércio e ao turismo da cidade, a pandemia do vírus chinês também faz mal à população deixando um rastro de pobreza (desemprego) e morte . O discurso dos evangélicos com referência ao fechamento das igrejas precisa encontrar um ponto de convergência ou

Coluna: Noticias do Planalto Central

Recesso Depois de duas semanas de folga a coluna Notícias do Planalto Central volta no mesmo ritmo da Câmara Legislativa: com muita leitura e atento aos movimentos dos deputados. Assim como muitos deles sedento por informações, já que estão com a boca fechada e não abrem por nada. Nesta fase de negociações os segredos devem ser preservados.  Busca por um partido Nesta toada de observações muitos distritais estão desesperados por um "lugar ao sol". Explico: Muitos dos que hoje são deputados não o serão no próximo verão. Mas não é só por causa das novas regras, a tal clausula de barreira e sim porque muitos dos excelentíssimos deixaram a desejar e são muitos ruins mesmo.  Mulheres Este colunista discorreu a relevância das mulheres nas próximas eleições e destaquei aquelas que irão concorrer à uma vaga de deputada federal. Leia lá .  O jogo muda completamente quando falamos das mulheres na Câmara Legislativa do DF. As distritais que hoje ocupam duas cadeiras poderão ficar ainda