Pular para o conteúdo principal

REAL INTENÇÃO DO PARCELAMENTO DE SALÁRIOS

FOTO: AG. BRASÍLIA - HAMILTON SILVA

Servidor é o responsável

Além de campanha sistemática do governo federal não dilapidação, desvalorização e desmoralização dos servidores públicos, através de mensagens subliminares com uma estratégia de fazer caixa para controlar e dominar o projeto de poder socialista na capital o parcelamento tem o seguinte objetivo final.

Previdência

Instituir um novo sistema para a Previdência para os servidores públicos do Distrito Federal. Ou seja: vem aí aumento de contribuição, de idade mínima dentre outras ações que manipulam os recursos dos servidores.

O governo passa uma mensagem ao contribuinte de que os servidores tem altos salários ao determinar que o parcelamento deverá atingir o valor de R$7.500,00, colaborando com a difamação dos dando a entender que o maior responsável pela ingerência dos montantes são somente os reajustes previstos em lei.

Privatização

De acordo com interlocutores da cúpula do GDF, embora o governador tenha afirmado reiteradas vezes que a Companhia Energética de Brasília (CEB) e a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) não sofreriam mudanças no modelo administrativo, são fortes as chances de ao menos a CEB ser privatizada ainda nesta gestão.

Comissionados

Ele já cortou 40% dos cargos comissionados, não deu aumento salarial para servidores e congelou despesas, mas, só a fornecedores, o GDF ainda deve R$ 800 milhões. Algumas administrações regionais, por exemplo, trabalham com a metade do pessoal que tinha no governo anterior, uma parte de comissionados, não tem chamado os concursados doMetrô, por exemplo e catracas estão funcionando bem abaixo de sua capacidade, No entanto, na avaliação do GDF, tudo isso ainda é insuficiente. E é nesse cenário que as novas medidas de contenção dos gastos públicos são gestadas.

Com informações do Correio Braziliense, Jornal de Brasília e Metrópoles


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000