Pular para o conteúdo principal

ARRECADAÇÃO DO DF CAI EM ABRIL

foto_ Internet - Hamilton Silva


Os números mais recentes sobre a arrecadação do Distrito Federal revelam que, se a situação não se reverter, o GDF precisará de ao menos dois quesitos nos próximos meses: planejamento e organização. Contrariando a tendência de crescimento dos últimos balanços, março e abril apresentaram queda na receita.
Em março, a arrecadação de impostos e taxas somou R$ 1,15 bilhão — uma redução de 15,62% se comparado ao mesmo período de 2016. Já em abril deste ano, o valor foi de R$ 1,13 bilhão — 7,08% a menos do que no mesmo mês do exercício anterior.
Agora, na visão de especialistas, é preciso balancear o uso dos recursos. “Não estamos no fundo do poço. O que não pode é gastar tudo de uma vez”, afirmou o economista e professor da Universidade de Brasília (UnB) Roberto Piscitelli.
Ao contrário do movimento apresentado em fevereiro, quando a arrecadação cresceu 34,17% impulsionada pela antecipação do pagamento do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), o mês de abril traz queda de 17,08% nessa rubrica em comparação ao mesmo mês do ano passado. Para se ter uma ideia, como o GDF alterou o calendário este ano, em fevereiro o crescimento na arrecadação do IPVA foi de 586,10% em relação ao mesmo período de 2016.

ICMS e ISS
Apesar da sazonalidade do IPVA, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) e o Imposto Sobre Serviços (ISS) deveriam se manter estáveis. Esses tributos refletem a atividade econômica, a movimentação do comércio e dos negócios. No entanto, a arrecadação desses impostos ficou abaixo da inflação do período.




Confira quanto o GDF arrecadou em abril


Com impostos e taxas
R$ 1.132.431.030,17

ICMS
R$ 620.696.042,44

ISS
R$ 127.578.394,72

IPVA
R$ 113.921.387,51

ITBI
R$ 23.017.460,10

IPTU
R$ 4.987.821,07

fonte: Metrópoles

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000