Pular para o conteúdo principal

PSDB-DF IMPÕE CONDIÇÕES PARA EMBARCAR NO GOVERNO LOCAL

O deputado Izalci Lucas (PSDB/DF), coordenador da bancada parlamentar do DF, na Câmara Federal, fez nesta sexta-feira (16), em coletiva aos blogueiros da Associação de Blogueiros de Política de Brasília (ABPB), um balanço das decisões e projetos da bancada federal.
FOTO: EDGAR LISBOA
Cerca de 20 blogueiros, da abpb, na coletiva de Izalci Lucas(PSDB/DF)
O deputado chamou atenção para o desemprego e lamentou que Brasília não tenha uma política de desenvolvimento econômico. Disse que mais de 8 mil empresas mudaram para outros estados e até mesmo para o Paraguai onde são oferecidas melhores condições e incentivos. A diferença de alíquota do DF para Goiás é de 14%. Izalci Lucas está trabalhando num mega projeto que, se der certo, pavimenta seu caminho como candidato ao Palácio Buriti. Ele quer polos de desenvolvimento com a participação da comunidade, em cada cidade objetivando também criar mecanismos de geração de empregos.
Relatou uma reunião com o ministro da Defesa Raul Jungmann, pedindo apoio para utilização dos satélites do exército para levantar a real situação dos condomínios no Distrito federal. Isso poderá ser feito através de convênio com as forças armadas. Adiantou que 90% dos problemas enfrentados hoje com os condomínios poderiam ser resolvidos uma vez que, com o levantamento real da situação, o tribunal poderia decidir imediatamente.
Izalci falou de um encontro que teve com o governador Rodrigo Rollemberg há 15 dias. “ Ele me chamou e pediu que o PSDB apoiasse o seu governo. O governador reconheceu que algumas áreas estão deficitárias e com problemas. Ele acha que o PSDB pode auxiliar. A preocupação que eu vejo é que Brasília precisa de uma força tarefa integrada pelas autoridades e a própria população para recuperar a qualidade de vida do Distrito Federal”.
O líder tucano admitiu que na última eleição, a pedido do PSDB Nacional, apoiou e votou em Rodrigo Rollemberg objetivando cumprir acordo de base com vistas a Aécio Neves, tentar buscar o Palácio do Planalto. Afirmou que sabia que o Jofran Frejat tinha uma experiência muito maior, mas, “a pedido do nacional especialmente do presidente Aécio Neves, atendi e apoiei o Rollemberg. ”
Auxílio do PSDB no DF
Segundo Izalci Lucas, Rodrigo Rollemberg convidou o PSDB a participar da busca de soluções dos problemas do Distrito Federal. “Disse a ele que ia levar o assunto ao Aécio Neves e que conversaria também com o Geraldo Alckmin antes de fechar qualquer tipo de acordo. Estava aguardando tudo isso e, às vésperas da eleição da Mesa da Câmara Legislativa, ele me procurou e pediu se eu poderia me reunir com Robério (Robério Negreiros/PSDB) para tentar o apoio dele na Câmara Distrital. Falei que ligaria para o Robério. Na verdade, Robério por ser PSDB deveria estar na oposição, mas não devemos entrar em negociações em termos locais. Já tinha duas assinaturas e precisava para a Presidência da Câmara, de mais duas. Acho que ele confiou demais. O Robério saiu da minha casa ciente que ele seria o segundo secretário da mesa. Ficou acertado. O governador, não disse que ia ver, garantiu que ele seria. ”
Acontece, explicou Izalci, que “tinha três assinaturas. Mas o nome do Delmasso (Rodrigo Delmasso) não foi retirado. Estava na chapa. Não sei se o governador acertou com o Delmasso  o combinado com o Robério. A decisão é do deputado. Não houve interferência nem de Aécio, nem de Alckmin. Não há nenhum compromisso com relação ao DF.”
Candidatura Própria
O PSDB do DF terá candidatura própria ao Governo de Brasília. “Estou trabalhando num projeto que pretendo concluir para apresentar o que devemos fazer nos 100 primeiros dias de governo. É uma proposta. Não dá para fazer acordo em cima de nomes. Tem que ser em cima de projetos. E é o que nós estamos fazendo. Esta aí o resultado do DF destruído e tem que ser recuperado. O compromisso é com o Distrito Federal. Temos 300 mil desempregados, 130 mil jovens que não estão estudando, nem trabalhando. Hoje é a terceira cidade do país, com 3 milhões de pessoas e não temos emprego. ”
FOTO:EDGARLISBOA
Tucano relata aos blogueiros as negociações com o governador de Brasília
Izalci disse que o PSDB apresentou ao Michel Temer, “e eu também apresentei, as considerações para o partido estar com o Governo.”  Deixou claro que, da mesma forma, “também entreguei ao governador as condições do PSDB do DF: implementar o projeto de desenvolvimento econômico e, entre outras coisas, acesso as diversas áreas do Governo, regularização das terras. Hoje existem mais de mil condomínios irregulares. ”
Segundo deputado Tucano, “nós temos uma proposta concreta, elencamos 15 pontos e entregamos ao governador de Brasília. Se ele cumprir, nós vamos ajudar o DF. Nós temos quadros para isso. E um dos pontos é o afastamento do PT do governo. Foi quem provocou essa tragédia toda. Como o PSB não tem quadros, todos os servidores do PT foram mantidos nos cargos, no Governo. A saída desse pessoal é uma das condições para que a gente possa ajudar o DF. ”
Agência Digital News com blog Edgar Lisboa

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000