Pular para o conteúdo principal

LEITURA OBRIGATÓRIA: A PROFECIA TOSCANELLI

Um romance que presta uma homenagem ao sonho de Dom Bosco e aos candangos que construíram Brasília, bem como aos jovens que nunca acreditaram que o tempo e o vento fossem obstáculos para a conquista da vitória.
Foto: Cortesia do Autor - Blog do Hamilton Silva

Leitura Obrigatória

O livro narra uma aventura que tem como pano de fundo a epopéia da construção de Brasília ( que nos dias atuais precisa ser urgentemente resgatada para as novas gerações, principalmente diante da crise ética que estamos vivendo). O início apresenta em detalhes o sonho profético de D. Bosco, e a ficção criada em torno desse acontecimento, que se desdobra no encontro de uma universitária dos anos 80 (Valéria), de um sacerdote salesiano do séc. XIX ( António), de um candango dos anos 50 ( Hélio). Como ingredientes um vilão do serviço secreto do Vaticano, Faraós, uma banda de rock, Tia Neiva, misticismo, cristais,além de uma minuciosa pesquisa histórica, que busca abarcar com veracidade, datas, acontecimentos, etc. Aproveite para ler nestas férias esse e-book!Já está disponível em e-Book na AMAZON o livro *"Venturis Ventis ou A profecia Toscanelli"*,  um romance de autoria de *IOLIVAN FERNANDES*,  uma ficção com contornos históricos e sobrenaturais, um caldeirão que fala sobre nossa história  e é claro sobre nossos bravos candangos. 


Leia uma prévia


 *Clique neste LINK para conhecer o livro, ler uma prévia e adquirir uma grande obra literária*!


Com longos anos de estudo, preparação e finalmente a publicação pelo maior site de marketing e vendas do mundo. Venturis Ventis ou Profecia Toscanelli é definitivamente uma obra que todos deveriam ler não só pela excelente contextualização histórica, mas também pela delícia que o autor proporciona com uma sagacidade única de como conta uma ficção mixada à realidade.

Sobre o Autor: 

"Iolivan Fernandes Ximenes é professor formado em Artes Plásticas pela UnB ( onde cursa atualmente museologia), estudou Estudos Sociais e História pelo UniCeub. Atua na Secretaria de Educação do DF há 20 anos. Casado com uma professora de Artes Cênicas. Acredita que Brasília Ainda não foi devidamente reconhecida, pois seus construtores, os Candangos, não são atualmente devidamente lembrados."

Foto: Facebook - Blog do Hamilton Silva
Iolivan Fernandes: Escritor
Morador do Gama Distrito Federal e com vasta experiência na educação de jovens e adolescentes Iolivan é um apaixonado por literatura e pelo seu ofício. Intelectual brilhante e de formação acadêmica clássica Fernandes tem um brilho no olho diferente quando se trata da cultura nordestina, mas o interesse pela formação cultural e histórica da capital federal levaram esse escritor a elaborar sua primeira obra.

Apaixonado pelo ser humano o autor descreve em sua obra várias tramas que mistura um emaranhado de interesses, profecias arquitetônica, história e aventura.


Serviço:
Título Venturis Ventis ou Profecia Toscanelli
Autor: Iolivan Ximenes
Preço: R$13,62
clique AQUI para comprar


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Bolsonaro ensaia ‘dobradinha’ com Ibaneis

  Foi hoje na posse do novo ministro Ciro Nogueira cacique do PP que Jair Bolsonaro disse:   “Dispenso comentários. Nós aqui somos um só governo. União e Distrito Federal é um casamento perfeito” , declarou Bolsonaro aos presentes na solenidade. O horizonte eleitoral é muito mais curto que os trezes meses até o pleito. Ibaneis Rocha (MDB) para governador e Jair Bolsonaro para presidência seria uma chapa imbatível no Distrito Federal. Ambos foram muito bem sucedidos em 2018  no quadrado do Planalto Central. Bolsonaro teve 69,99% cerca de 1.080.411 votos no segundo turno e Ibaneis Rocha recebeu 1.042.574 votos – o equivalente a 69,79% dos votos válidos. Bolsonaro é “raposa felpuda” com mais  de trinta anos de vivência  no Congresso Nacional e apesar de Ibaneis ter conquistado o seu primeiro mandato vem surpreendendo com quase 3 anos de uma gestão positiva ou do “bem”. O resultado eleitoral em 2018 jamais poderá ser ignorado sob pena de se repetir a derrocada de seus opositores. Opositore

Verdade nua e crua

 O jogo político está empatado, os atores da política nacional jogam no limite possível.  Não há como destituir o presidente Jair Bolsonaro do seu cargo. A oposição já sabe disso. Não vai trabalhar por impeachement , pois todas ações neste sentido passam pela aprovação da Câmara dos Deputados e o presidente Arthur Lira já deu sinais diferentemente de Rodrigo Maia  de ser um "homem de palavra".  Bolsonaro está acastelado. Ele tem o cargo de Presidente da República, o que não é pouca coisa, tem as ruas, os movimentos de milhões, ignorados pelos jornais e tem as Forças Armadas. Muito dificil derrubar. A oposição só tem uma chance de vencer Bolsonaro: Fraudando as Urnas e por isso o ponto de equilibrio desse jogo é a aprovação ou não da PEC 135/2019.  As estratégias adotadas pela oposição revelam o total desespero dos atores políticos, isto porque mal aprofundam as ações em curso como foi o caso do impeachement na Câmara dos Deputados e já implementam outra seguida do insucesso.