Pular para o conteúdo principal

GOVERNO FEDERAL CRIA FÓRUM PARA TENTAR DESTRAVAR SETOR PRODUTIVO

Foto: Agência Brasil
Paulinho da Força Sindical

O governo federal anunciou ontem (20) a criação do Fórum Nacional do Desenvolvimento Produtivo, que será formado por representantes de empresários e trabalhadores para definir uma estratégia de ações tendo como objetivo o destravamento dos setores produtivos. Entre os assuntos discutidos já na primeira reunião está a necessidade de se acelerar os acordos de leniência das empresas denunciadas na Operação Lava Jato.

Segundo o presidente da Força Sindical, deputado Paulinho da Força (SD-SP), a meta é fazer com que as punições sejam aplicadas a pessoas físicas, de forma a evitar prejudicar as empresas e, consequentemente, a geração de empregos.

“Estamos com problema grave no setor da construção pesada. Me parece que poucos têm coragem de dizer que os empresários que cometeram crime ficam presos; que os que cometeram crimes e não foram presos têm de ser presos. Agora, não pode fechar empresa, porque quando fecha milhares de trabalhadores perdem emprego”, disse o deputado após deixar a primeira reunião do grupo, no Palácio do Planalto.

Segundo ele, essa é uma questão que o governo precisa resolver o quanto antes, uma vez que o Tribunal de Contas da União (TCU) e o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle “são lentos; o Ministério Público diz que não pode; e ninguém tem coragem de falar que pode”. “Esse fórum é esperança de trabalhadores e empresários para que o Brasil volte a gerar empregos”,acrescentou.

Ipea e Dieese também participarão
As propostas a serem apresentadas pelo grupo serão elaboradas com a ajuda do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

De acordo com o assessor especial da Presidência da República, Sandro Mabel, será por meio dessas duas entidades que o governo organizará as políticas a serem implementadas.

Ele antecipou que, entre elas, não haverá espaço para se criar mais subsídios. “Este fórum será nacional e, conforme surjam os problemas, como é o caso das empreiteiras [envolvidas na Lava Jato], a ideia é operacionalizar as mudanças e ações que precisam ser feitas”.

Mabel antecipou que a prioridade abrangerá medidas para setores que se encontram em situação mais complicada, caso dos setores automotivo, de construção civil, construção pesada e setor químico. “Vamos discutir cinco ou seis setores inicialmente e depois aumentar”, disse ele.

Edição: Kleber Sampaio

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000