Pular para o conteúdo principal

DEPUTADO FRAGA MOSTRA O NÚMEROS DA INSEGURANÇA NO DF

Foto da internet
Deputado Alberto Fraga
O Deputado Federal Alberto Fraga (DEM-DF), em discurso hoje (20) no plenário da Câmara dos Deputados, desmentiu os números da violência no Distrito Federal, que geralmente são manipulados pelas mídias compradas pelo GDF.
Munido de minucioso detalhamento da criminalidade da capital do país, Fraga não poupou as infrutíferas tentativas de maquiagem do governo para acalmar a população do DF. A cada dia os índices estão aumentando e uma política de segurança pública capaz de frear essa onda vai se transformando numa conquista muito distante.
Num balanço divulgado pela própria Secretaria de Segurança Pública, todos os índices de criminalidade aumentaram e, segundo Fraga, nenhuma atitude do governador Rollemberg foi tomada para contornar a atual situação.
Segundo o deputado e os números apresentados, o quantidade de latrocínio (que é matar para roubar), aumentou no DF em 500%. Esse aumento deixa a população em polvorosa. Os assaltos a coletivos aumentaram 24%, chegando a 1.733 assaltos a ônibus em Brasília. Os roubos em comércio cresceram 7% chegando a 1.956 comércios arrombados e roubados até agosto de 2016.
O roubo em veículos, com emprego de violência, cresceram 14,7%, chegando a assustadora soma de 3.652 veículos até agora. E o pior é que o governador não toma nenhuma providência para inibir essa violência que assola o Distrito Federal. O assalto a pedestres cresceu 26%, subindo para 26.420 pessoas roubadas só em 2016. Já o furto em residências cresceu 42%, estupros 9% e as tentativas de latrocínio 37%.

“O trabalhador do DF se tornou refém da criminalidade e o governo assistindo na primeira fila sem tomar nenhuma atitude. Até quando teremos que conviver com essa incompetência e essa falta de atitude da atual secretária de segurança pública que foi importada do Estado de Pernambuco, que não sabe sequer quantas balas tem um revólver 38. Se combate a violência com ações e não com palavras bonitas e metáforas”, disse Fraga.
Acho que tanto a secretária como o governador Rodrigo Rollemberg ainda não conseguiram informar ao povo do DF para que vieram. Parece até que nem tomaram posse ainda. Chega de montagens, chegou a hora de o governador tomar uma postura e mostrar a que veio. A Brasília da saudade está muito longe de ser alcançada novamente onde até de portas abertas nós dormíamos, referendou Fraga, num discurso saudosista.

Por Poliglota…

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Bolsonaro ensaia ‘dobradinha’ com Ibaneis

  Foi hoje na posse do novo ministro Ciro Nogueira cacique do PP que Jair Bolsonaro disse:   “Dispenso comentários. Nós aqui somos um só governo. União e Distrito Federal é um casamento perfeito” , declarou Bolsonaro aos presentes na solenidade. O horizonte eleitoral é muito mais curto que os trezes meses até o pleito. Ibaneis Rocha (MDB) para governador e Jair Bolsonaro para presidência seria uma chapa imbatível no Distrito Federal. Ambos foram muito bem sucedidos em 2018  no quadrado do Planalto Central. Bolsonaro teve 69,99% cerca de 1.080.411 votos no segundo turno e Ibaneis Rocha recebeu 1.042.574 votos – o equivalente a 69,79% dos votos válidos. Bolsonaro é “raposa felpuda” com mais  de trinta anos de vivência  no Congresso Nacional e apesar de Ibaneis ter conquistado o seu primeiro mandato vem surpreendendo com quase 3 anos de uma gestão positiva ou do “bem”. O resultado eleitoral em 2018 jamais poderá ser ignorado sob pena de se repetir a derrocada de seus opositores. Opositore

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização