Pular para o conteúdo principal

CARTA DE DILMA DEMONSTRA QUE ELA ESTÁ DESCONECTADA DA REALIDADE, DIZCAIADO

Foto: Sidnei Lins Jr
Ronaldo Caiado:Senador
O líder do Democratas no Senado Federal Ronaldo Caiado (GO) criticou o tom usado pela presidente afastada Dilma Rousseff em carta aberta sobre o impeachment. 

Em entrevista coletiva no Senado nesta terça-feira (16/08), o senador afirmou que o texto não condiz com o sentimento da população e é uma afronta aos poderes constituídos que julgam o processo em que Dilma responde por crime de responsabilidade.

"É uma carta que demonstra que ela está completamente desconectada da realidade brasileira. Ela trata do momento de crise que o país enfrenta como se não fosse ela a responsável por tudo isso. É também uma afronta ao Supremo Tribunal Federal, ao Tribunal de Contas da União e ao Congresso Nacional que estão apenas exercendo suas funções", afirmou.

Caiado também defendeu o respeito ao rito constitucional que foi adotado durante todo o processo de impeachment e o amplo espaço dado à defesa que chegou a convocar 39 de 44 testemunhas em 120 dias de debates em comissão especial.

"Hora alguma foi negado o direito à defesa da presidente. Pelo contrário, tudo que foi colocado seguiu as regras previstas na Constituição e pelo rito do STF. A atitude dela é antidemocrática, algo semelhante ao que Maduro faz na Venezuela: tudo que tem que ser submetido a normas constitucionais, ela quer revogar", criticou. 

Plebiscito

Ronaldo Caiado considerou a proposta de plebiscito apresentada por Dilma Rousseff como uma manobra oportunista. "Quando milhões de pessoas foram às ruas e clamaram por uma reação da presidente, ela se calou. Agora que é fato consumado o seu afastamento definitivo, ela vem com essa fase de mascarar seus crimes tentando criar um factoide", comentou.

Matéria: Assessoria Liderança Democratas Senado

Foto: Sidney Lins Jr
24BA342E-85BA-432B-A286-D3D3B72A15B2

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

BRASIL É SEXTA ECONOMIA

  A Crise ajuda o Brasil EUA, China, Japão, Alemanha, França, Brasil essa é a nova ordem. Afirma o Centro de Pesquisa de Economia e Negócios do Reino Unido (CEBER, sigla em inglês). A China deverá crescer 7,6% e a Índia deverá crescer 6% o Brasil, segundo autoridades brasileiras deverá crescer em torno dos 3,5% se consolidando como a sexta economia mundial. O Reino Unido só não vai ficar mais desesperado porque a França indica um queda significativa para os próxmios anos. PIB de 2,5 trilhões de dólares A soma de todos os bens e serviços (Produto Interno Bruto-PIB) se mantem entre os maiores mundiais, o contraponto é justamente aquele que o Partido dos Trabalhadores sempre usou como principal bandeira, o social, que precisará de muita atenção da chefe do executivo. Com a decisão de elevar o salário mínimo para R$ 622,00 fará com que se  tenha uma acréscimo de 0,4 pontos percentuais no PIB de 2012. Fato muito importante para a manutenção da política econômica. A indústria