GREVE DO METRÔ PODE ACABAR NESTA TERÇA-FEIRA

Depois de vinte dias de greve os empregados da Companhia do Metropolitano do DF assistem de forma espantosa a morosidade da justiça do trabalho para julgar a legalidade da greve e os pedidos dos trabalhadores, reposição das perdas salariais corroídas pela inflação no período 2015/2016 e a convocação de concursados de 2013.

 
Porém essa paralisação pode acabar nesta terça-feira, devido a uma audiência na Primeira Seção Especializada do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT10), às 09 horas.Como não houve acordo as partes pediram ao desembargador responsável - Alexandre Nery de Oliveira - pela causa que acatassem liminares que suspendessem a greve de imediato, pedido feito pela empresa, e a diminuição de trens circulando de 100% para 40%, pedido feito pelo sindicato dos trabalhadores.

Como já houve o de tempo necessário para que as partes apresentassem suas argumentações e contrapropostas agora só de depende da justiça que até essa sexta feira 01/07 não havia se pronunciado apesar de ter conciliado as primeiras reuniões. E somente deixou para essa semana a solução do impasse.

O Direito dos Usuários

O Direito de ir e vir é garantido pela nossa Carta Magna Artigo 5º -XV, e também é conferido a todo cidadão pela Declaração dos Direitos Humanos da ONU assinada em 1948.

A razão de todo sistema metroviário existir é o usuário. Exigir um transporte de qualidade é a principal demanda da população do Distrito Federal já que os transportes oferecidos, rodoviário, por exemplo, são precários em todos aspectos: Eficiência, Segurança e Economicidade.

A quantidade de automóveis que circulam pelas avenidas da cidade balizam a necessidade de investimento em massa no transporte sobre trilho. Imagina 150 mil carros a mais nas ruas, já que é essa a quantidade de transportados diariamente pelo Metrô.

O direito à informação do que realmente ocorre com o sistema deve ser pauta sistemática, pois o maior beneficiário, o usuário, precisa entender e se sentir responsável pelo patrimônio para que possa cobrar. Não se pode deixar que a mídia parcial transmita de forma pejorativa e destrutiva os fatos sem que haja uma correção das distorções relatadas.
A valorização do sistema deve "startada" pelo usuário.

O Direito dos Trabalhadores

Baseado pelo INPC trabalhadores reivindicam um percentual de 8,97% de reajuste necessário para que a inflação não absorva o poder de compra dos seus salários. Melhores condições de trabalho e principalmente a contratação de concursados que viabiliza maior segurança aos usuários. 
E a finalização de ações que visão a terceirização e o sucateamento da empresa que aponta para uma privatização.   
O dever da empresa
Prestar um serviço de qualidade com responsabilidade fiscal e proporcionar aos seus empregados condições mínimas para realizar suas atribuições sem prejuízo na qualidade e desvalorização de seus empregados concursados visando sempre o bem estar dos usuários.

Por que a demora?

A situação tem se demonstrada desconfortável, mas suportável. A causa principal é que a paralização não tem afetado de forma drástica e o sistema rodoviário funciona precariamente,mas ainda funciona.

A justiça do trabalho determinou que 100% dos trens devem operar em horário de pico, entretanto é um grande mistério a demora no julgamento da greve num serviço Essencial para comunidade de Brasília. Entender as entrelinhas vai além de ler ou ver o noticiário de todos para um cidadão comum, com patrimônio dilapidado a empresa pode estar sendo objeto de alvo de privatização.

Um argumento foi as férias do desembarcou responsável pela ação e as várias liminares que foram impetrada na justiça. Mas que sinaliza um término nesta terça-feira.
Postar um comentário
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial