Pular para o conteúdo principal

DEBATE SOBRE TRIBUTAÇÃO

Reforma tributária, saída para crise


Deputado federal Izalci reúne especialistas, em audiência pública, para discutir novo modelo de tributação para o Brasil. Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, está entre os convidados

Diante de uma das maiores crises econômicas e políticas no país, a Câmara dos Deputados realiza nos dias 5 e 12 de julho a audiência pública "Tributação: Um novo modelo para o Brasil". A iniciativa é do deputado federal Izalci (PSDB-DF), autor do requerimento para o debate, que será dividido em duas fases. Estarão em foco problemas como a baixa eficiência da arrecadação, altos índices de inadimplência, lacunas na legislação, entre outros temas.


A proposta é abrir espaço a uma ampla reflexão que permita apontar caminhos para a retomada do crescimento e a melhoria da qualidade de vida da população. “As deficiências dos modelos de tributação e dos gastos públicos geram distorções na economia e inibem a atividade produtiva e o crescimento econômico”, analisa Izalci.

Por isso, o encontro reunirá os setores científico, acadêmico, produtivo e público em uma discussão aberta com o objetivo de construir uma nova forma de tributação para o país. As participações ficarão concentradas em agentes do setor público, na primeira etapa, e representantes da iniciativa privada, na segunda etapa.

Na Etapa 1, que será nesta terça-feira (5), os expositores e pesquisadores serão representantes do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (IPEA), que apresentarão dados, informações e conhecimentos relativos ao tema. Entre os debatedores convidados estão o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o secretário de Fazenda do DF, João Antônio Teixeira.

Já a Etapa 2, na terça-feira da semana seguinte (12), prevê as participações de representantes da Fibra, Fecomércio DF, Associação Comercial do DF, Câmara dos Dirigentes Lojistas e Sindicato do Comércio Atacadista do DF.

PROGRAMAÇÃO:
Audiência Pública – Tributação: um novo modelo para o Brasil


DATAS:

Terça-feira, 5 julho, 14h30 – Etapa 1 – Setor Público
Terça-feira, 12 de julho, 14h30 – Etapa 2 – Setor Privado


LOCAL:

Plenário 4, Anexo II, Câmara dos Deputados

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000