Pular para o conteúdo principal

BRB OFERECE CURSO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA À POPULAÇÃO


Os cursos são gratuitos e realizados em uma unidade de treinamento do BRB

  Desde 2011, o BRB oferece aos seus clientes e à comunidade em geral cursos de educação financeira. A proposta é repassar aos participantes conceitos sobre finanças pessoais. A diretora de Gestão de Pessoas e Administração do BRB, Cristiane Bukowitz, destaca que uma boa gestão das finanças reflete, diretamente, na qualidade de vida da população.
“Pensando nisso e partindo do princípio de que somos uma instituição financeira pública, encontramos neste curso um meio efetivo pelo qual podemos auxiliar na educação financeira da população”, afirmou Cristiane. A diretora destaca, ainda, que desde o início do projeto até maio deste ano, 22.996 pessoas participaram do treinamento. Neste ano, já foram realizados 110 cursos, dos quais participaram 3.402 pessoas, entre servidores públicos, empregados de empresas privadas, estudantes de nível médio e superior, e famílias.

 
Temas abordados nos cursos
Durante a apresentação, são expostos os seguintes pontos: endividamento (O que são dívidas? Por que as pessoas se endividam? Estudo de caso. Como sair do endividamento) e planejamento (O que é planejamento? Como planejar? Por que planejar? Como planejar as receitas e as despesas? Atividade prática). 
Um dos instrutores do curso, Alexandre Michel Santos destaca que os resultados são positivos e elenca alguns comentários e lições aprendidas, colocadas pelos participantes ao fim do curso: “A abordagem dos temas é simples e prática”; “Descobri que nem tudo está perdido. Sempre há uma saída”; “É necessário me organizar para ter um futuro melhor”; “É possível a mudança da situação financeira com pequenas atitudes, como a anotação dos gastos e com mudanças de hábitos”; “Aplicar uma parte do salário para a realização das metas de vida”; e “Compreendi que as questões demandam um tempo para serem equacionadas”. 
As aulas são ministradas por uma equipe de nove instrutores, todos empregados do BRB. Interessados em se inscrever devem enviar, com uma semana de antecedência da data prevista para o curso, e-mail para educafinan@brb.com.br, informando nome completo, telefone e e-mail de contato. A confirmação da inscrição também será efetuada via e-mail. Todos os participantes receberão um certificado de participação ao fim do curso.
Abaixo, datas e horários dos próximos cursos já agendados:
Julho/2016
22/7 - das 8h às 12h
Agosto/2016
11/8 - das 8h às 12h
12/8 - das 8h às 12h
Setembro/2016
1º/9 - das 8h às 12h
2/9 - das 8h às 12h
Outubro/2016
20/10 - das 8h às 12h
21/10 - das 8h às 12h
Novembro/2016
17/11 - das 8h às 12h
18/11 - das 8h às 12h
Dezembro/2016
08/12 - das 8h às 12h
09/12 - das 8h às 12h

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

BRASIL É SEXTA ECONOMIA

  A Crise ajuda o Brasil EUA, China, Japão, Alemanha, França, Brasil essa é a nova ordem. Afirma o Centro de Pesquisa de Economia e Negócios do Reino Unido (CEBER, sigla em inglês). A China deverá crescer 7,6% e a Índia deverá crescer 6% o Brasil, segundo autoridades brasileiras deverá crescer em torno dos 3,5% se consolidando como a sexta economia mundial. O Reino Unido só não vai ficar mais desesperado porque a França indica um queda significativa para os próxmios anos. PIB de 2,5 trilhões de dólares A soma de todos os bens e serviços (Produto Interno Bruto-PIB) se mantem entre os maiores mundiais, o contraponto é justamente aquele que o Partido dos Trabalhadores sempre usou como principal bandeira, o social, que precisará de muita atenção da chefe do executivo. Com a decisão de elevar o salário mínimo para R$ 622,00 fará com que se  tenha uma acréscimo de 0,4 pontos percentuais no PIB de 2012. Fato muito importante para a manutenção da política econômica. A indústria