Pular para o conteúdo principal

BRB participa do Kick-off Meeting do 8º Fórum Mundial da Água


logomarca do Banco de Brasília
Começa hoje (27), o Kick-off Meeting do 8º Fórum Mundial da Água, promovido pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do DF (ADASA). Durante os dois dias do encontro, serão discutidos os resultados alcançados no 7º Fórum, ocorrido em 2015, na Coréia do Sul; e definidos os temas de debate do próximo Fórum, marcado para o período de 18 a 23/3/2018.
 
De acordo com o presidente do BRB, Vasco Gonçalves, a discussão sobre os aspectos ligados à água faz parte de um processo de longo prazo: “Este tema interessa a todos e, por isso, nos fazemos presentes neste evento. A discussão sobre melhorias na gestão da água e no uso consciente deste recurso é um processo contínuo e que sempre deve estar presente na sociedade, na agenda positiva dos órgãos e nos veículos de comunicação”, destacou.
 
A 8ª edição do Fórum será realizada em Brasília, o que representa uma ótima oportunidade para que o Brasil avance e fortaleça a gestão e o uso sustentável da água. Vale destacar que 12% da água doce superficial de todo o mundo está concentrada no País.
 
Paulo Salles, diretor-presidente da ADASA, explica ainda que o 8° Fórum Mundial da Água reunirá diversas empresas, tanto nacionais quanto mundiais, e que isso certamente pode representar investimentos em Brasília e no Brasil.
 
“Já existem algumas empresas internacionais interessadas em vir para o Brasil e essa é uma grande oportunidade para apresentar e mostrar a nossa estrutura e os estágios de desenvolvimento dos projetos relacionados a recursos hídricos, para convencê-las a fazerem essa parceria conosco. Recebemos na semana passada, por exemplo, uma delegação do Azerbaijão, que veio participar de uma reunião específica e do Kick Off Meeting. Eles estão motivados, foram convidados pelo Conselho Mundial da Água e estão interessados em fazer parceria com a Caesb”, ressaltou Paulo.
 
8º Fórum Mundial da Água
A primeira edição do Fórum foi realizada em 1997 e, desde então, tem crescido a adesão e o interesse da população neste debate. A 6ª edição, realizada na França, contou com cerca de 35 mil participantes, 15 chefes de Estado e 112 oficiais de 168 países; a 7ª edição, na Coreia do Sul, reuniu 40 mil participantes, 10 chefes de Estado e 121 oficiais de 168 países. Em 2018, na 8ª edição do encontro, a expectativa é receber, aproximadamente, 60 mil pessoas.
 
Durante o Fórum, haverá uma Feira e uma Exposição, na qual as indústrias mostrarão os últimos desenvolvimentos tecnológicos ligados a equipamentos e a processos relacionados ao abastecimento de água, despoluição, tratamento de esgoto, dessalinização, diminuição de perdas, entre outros.
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTAS FISCAIS DA NET PUB TEM CARIMBOS DIFERENTES EM OUTROS GABINETES

Filipe Nogueira Coimbra, ex-servidor do gabinete da deputada Sandra Faraj e proprietário da NetPub, nega que tenha atestado o recebimento na última nota fiscal, que emitiu durante contrato de prestação de serviços com a parlamentar. Segundo ele, o carimbo não confere com o modelo utilizado pela empresa, nem mesmo a assinatura. Mas documentos similares, aos quais o blog teve acesso, mostram que a prática é comum entre seus clientes. Um deles foi emitido em janeiro deste ano, a um deputado federal de São Paulo, observem que a assinatura é bem diferente daquelas que Filipe aponta como original e,  carimbo utilizado apenas o ateste de PAGO. Filipe precisa esclarecer também porque trabalhou por quase dois anos no gabinete da parlamentar e só agora, após a exoneração, tirou da gaveta a suposta cobrança dos valores. A ligação de Filipe e o ex-chefe de gabinete, Manoel Carneiro, também deve ser desvendada, ainda mais agora depois que o Correio Braziliense revelou vídeo que flagrou

Monopólio Artificial e Monopólio Natural, você sabe qual a diferença?

Hamilton Silva é jornalista e economista O monopólio natural  Um monopólio pode ser natural ou artificial.  No primeiro caso, o monopólio é consequência de que é o monopolista que melhor oferta o valor – um bem ou serviço – naquele contexto. O monopólio natural não conta com nenhuma barreira protetora ou privilégio; é simplesmente a melhor das possibilidades disponíveis no momento. Isto é, dadas às circunstâncias, qualquer um pode tentar competir diretamente com o monopolista, mas enquanto não ocorre isso é ele quem melhor satisfaz as necessidades dos consumidores, dadas as alternativas.  Se certo cirurgião é o único cirurgião no mundo que realiza o transplante de um determinado órgão vital, ele detém o monopólio desta habilidade. Do mesmo modo, outros valores cuja oferta é naturalmente restrita são monopólios naturais.  Se um monopólio natural traz ao monopolista benefícios especialmente grandes, estes benefícios chamarão a atenção da sociedade, que canaliza

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as