Pular para o conteúdo principal

GDF é incompetente na arrecadação e não repõe as perdas salariais

Blog do Hamilton Silva, opinião
Depois de quatro meses monitorando as contas do Governo do Distrito Fedral, os gestores se mostraram ineficientes em suas ações de arrecadação e contenção nas despesas.

O Relatório de Gestão Fiscal do 1º Quadrimestre de 2016, tdivulgado na tarde desta segunda-feira 30 de maio não foi bem vindo, pois traz em seu conteúdo uma elevação nos números que comprometem as reposições das perdas salariais causadas pela inflação aos servidores da administração direta e indireta do GDF, comprometeu 47,08% da receita corrente líquida com o pagamento de servidores na média dos últimos 12 meses. No período anterior, o porcentual foi de 46,78%. Leia mais aqui no blog http://www.hamiltonsilva.com/2016/05/governo-permanece-impedido-de-contratar.html?m=1


O relatório ainda afirma ter sido mau sucedido na venda de patrimônio, alguns imóveis, do GDF, há que se falar do povo de Brasília. o que frustra em definitivo a arrecadação para o período. O que é decepcionante é justamente à incapacidade da equipe econômica, famosa por sua capacidade acadêmica, em captar recursos, seja nesse tipo de ações de dilapidação do patrimônio ou no aumento do ISS, arrecadação.

Cabe ressaltar que o círculo vicioso começou com as atitudes do governo quando aumento impostos tarifas e taxas estrangulando definitivamente o bolso dos principais agentes econômicos da capital, o servidor.

A ineficiência fiscal não é mérito da Secretaria da Fazenda ou planejamento o problema se dá, segundo os argumentos do governo pela crise econômica nacional, e pela LRF, lastro da desculpa ad eternun.

Não adianta clamar pelo auxílio do Tribunal de Contas do DIstrito Federal pois a ações ortodoxas adotadas não poderiam gerar os resultados esperados. M

É preciso ter coragem e utilizar os recursos heterodoxos disponíveis para melhorar a arrecadação e sedimentar o controle e fiscalização na arrecadação dos impostos, ratifico que é ineficaz a venda do patrimônio, tá provado.

Talvez a mudança dos gestores sugere uma maior eficácia e governança apontando para a retomada do consumo e posterior aquecimento do comércio e consumo

O GDF peca em todos os segmentos. O aumento só virá em outubro, pois a lei que autoriza foi assinada pelo Governo Agnelo, já tem gente com saudades.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Bolsonaro ensaia ‘dobradinha’ com Ibaneis

  Foi hoje na posse do novo ministro Ciro Nogueira cacique do PP que Jair Bolsonaro disse:   “Dispenso comentários. Nós aqui somos um só governo. União e Distrito Federal é um casamento perfeito” , declarou Bolsonaro aos presentes na solenidade. O horizonte eleitoral é muito mais curto que os trezes meses até o pleito. Ibaneis Rocha (MDB) para governador e Jair Bolsonaro para presidência seria uma chapa imbatível no Distrito Federal. Ambos foram muito bem sucedidos em 2018  no quadrado do Planalto Central. Bolsonaro teve 69,99% cerca de 1.080.411 votos no segundo turno e Ibaneis Rocha recebeu 1.042.574 votos – o equivalente a 69,79% dos votos válidos. Bolsonaro é “raposa felpuda” com mais  de trinta anos de vivência  no Congresso Nacional e apesar de Ibaneis ter conquistado o seu primeiro mandato vem surpreendendo com quase 3 anos de uma gestão positiva ou do “bem”. O resultado eleitoral em 2018 jamais poderá ser ignorado sob pena de se repetir a derrocada de seus opositores. Opositore

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização