Pular para o conteúdo principal

Executivos da Andrade Gutierrez relataram pagamento de propina a político. Dinheiro saiu de obras do Mané Garrincha, dizem; Agnelo nega denúncia


Por Camila Bomfim, da TV Globo – O ex-governador do Distrito Federal Agnelo Queiroz (PT) foi citado na delação premiada de executivos ligados à empreiteira Andrade Gutierrez. Segundo trechos a que o Jornal Nacional teve acesso, a empresa pagou propina em obras de estádios da Copa do Mundo de 2014. Entre elas está o Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília – que custou cerca de R$ 2 bilhões.
Procurado, Agnelo afirmou que, enquanto o teor de todo o inquérito não for divulgado, é impossível comentar o assunto. A defesa dele disse que o cliente desconhece qualquer fato citado na colaboração premiada (veja ao final a posição dos outros citados).

Com custo estimado pelo Tribunal de Contas do DF em R$ 1,7 bilhão, o Estádio Nacional Mané Garrincha foi o mais caro construído para a Copa do Mundo. O valor é 153% maior do que os R$ 670 milhões previstos inicialmente no projeto. A Corte e o Ministério Público do DF suspeitam de superfaturamento na obra
.
Da Arena da Amazônia, em Manaus, os executivos dizem que saíram repasses para o ex-governador Eduardo Braga (PMDB). Hoje ele é ministro de Minas e Energia. A delação também aponta que o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) foi beneficiado pelo esquema no Rio Janeiro por obras no Maracanã e no Complexo Petroquímico do Rio (Comperj).

Na colaboração – que engloba seis temas – , o ex-presidente da Andrade Gutierrez Otávio de Azevedo contou que ouviu do então tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff, Edinho Silva, que as sete empresas mais beneficiadas em contratos com o governo tinham um compromisso em comum. Elas teriam de doar R$ 100 milhões cada para a campanha eleitoral.

A construtora já tinha repassado R$ 60 milhões e foi cobrada porque o repasse foi feito ao ex-tesoureiro petista João Vaccari Neto. A solução teria sido pagar os R$ 40 milhões que faltavam a Edinho – que hoje é ministro da Secretaria de Comunicação.

Os executivos da empresa também apontaram que havia desvios no setor elétrico, beneficiando políticos e presidentes de estatais. Eles negaram que houvesse irregularidade em pagamentos a palestras do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Outros lados
A Odebrecht não quis se manifestar sobre as declarações reveladas pelo Jornal Nacional.

A defesa de João Vaccari Neto reafirmou que tudo se limita a palavra de um delator e que nenhuma comprovação disso existe ou existirá, por não ser verdade.

O ex-governador do Rio Sérgio Cabral negou as afirmações do delator envolvendo o
nome dele e manifesta a indignação com relação às declarações.

Eduardo Braga afirmou ter saído do governo do Amazonas em março de 2010, sem ter assinado contrato ou pagamento relacionado a obras da Copa do Mundo, incluindo a Arena da Amazônia. Ele declarou receber com indignação e surpresa a citação ao nome dele e que, se ocorreram, foi por engano ou má fé.

O PDMB disse que jamais recebeu recursos irregulares ou autorizou alguém a usar o nome do partido para liberar dinheiro ilegalmente.

O PT nega as acusações e afirmou que todas as doações ocorreram “estritamente dentro dos parâmetros legais”, declaradas à Justiça eleitoral.

Em nota à TV Globo, o coordenador jurídico da campanha de reeleição de Dilma, Flávio Caetano, afirmou que a suposta delação premiada do ex-presidente da Andrade Gutierrez, se confirmada, é mentirosa.

A coordenação afirmou ainda que todas as doações à campanha presidencial foram espontâneas e que não houve pagamento de R$ 700 milhões das empresas.

A construtora Camargo Corrêa disse que firmou acordo de leniência para colaborar com a Justiça, corrigir irregularidades e ressarcir prejuízos causados.

Blog do Callado

Postagens mais visitadas deste blog

Notícias do Planalto Central

Simbologia  A imagem (foto) marcante e mais simbólica da semana foi sem dúvida nenhuma a do governador Ibaneis Rocha na Ceilândia cercado de políticos "peso pesados" da Capital. Ladeado de Flávia Arruda (PL) o encontro sinaliza para uma aliança sólida neste ano de 2022.  'Puliça' O encontro de Ibaneis foi no reduto mais cobiçado da Capital, a Ceilândia (maior colégio eleitoral do DF), onde a foto fala mais do que qualquer palavra. O anfitrião,   o delegado Fernando Fernandes estava com sorriso de orelha a orelha com apoio e prestígio. O delegado deverá se filiar ao partido Republicanos com a benção de Ibaneis.  Volta à Cena O empresário e ex-senador  Luiz Estevão que agora goza de liberdade volta aos pouquinhos à cena política e parece já influenciar definitivamente alguns poucos  políticos da Capital, principalmente os distritais. Luiz tem política nas veias e participou discretamente de algumas "confras" ao lado da esposa Cleucy.   Decisão Fraga erra na tá

Coluna: Notícias do Planalto Central

Ex-governador Rollemberg Marketing reverso Na última semana de 2021, antes de assumir sua candidatura a deputado federal o ex-governador Rodrigo Rollemberg publicou um vídeo em que dizia do quanto dá trabalho cuidar das suas bezerrinhas. Fico imaginando o quanto é trabalhoso cuidar do seu curral eleitoral . Em tempo: no vídeo o político aparece todo sujo de esterco. Carnaval Atendendo a oração de muitos e mais ainda ao avanço de uma outra onda do vírus chinês o governador Ibaneis Rocha(MDB) cancelou o Carnaval de rua no DF. Ontem o vice Paco Britto anunciou não descartar um novo lockdown. "Saúde acima de tudo!"   Evangélicos Viver um paradoxo real é também ato de fé, na proporção em que a falta de Carnaval faz mal ao comércio e ao turismo da cidade, a pandemia do vírus chinês também faz mal à população deixando um rastro de pobreza (desemprego) e morte . O discurso dos evangélicos com referência ao fechamento das igrejas precisa encontrar um ponto de convergência ou

Coluna: Noticias do Planalto Central

Recesso Depois de duas semanas de folga a coluna Notícias do Planalto Central volta no mesmo ritmo da Câmara Legislativa: com muita leitura e atento aos movimentos dos deputados. Assim como muitos deles sedento por informações, já que estão com a boca fechada e não abrem por nada. Nesta fase de negociações os segredos devem ser preservados.  Busca por um partido Nesta toada de observações muitos distritais estão desesperados por um "lugar ao sol". Explico: Muitos dos que hoje são deputados não o serão no próximo verão. Mas não é só por causa das novas regras, a tal clausula de barreira e sim porque muitos dos excelentíssimos deixaram a desejar e são muitos ruins mesmo.  Mulheres Este colunista discorreu a relevância das mulheres nas próximas eleições e destaquei aquelas que irão concorrer à uma vaga de deputada federal. Leia lá .  O jogo muda completamente quando falamos das mulheres na Câmara Legislativa do DF. As distritais que hoje ocupam duas cadeiras poderão ficar ainda