Pular para o conteúdo principal

Entregue nesta sexta-feira (18), primeiro lote de 2016 beneficia 23 microempresários

Por Rafael Alves – A Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos entregou, nesta sexta-feira (18), 23 cartas de crédito para microempresários do Distrito Federal. O empréstimo faz parte do programa Prospera DF, retomado neste ano, com recursos oriundos do Fundo de Geração de Emprego e Renda do Distrito Federal. Foram destinados R$ 240.288,41 a 19 empreendedores da área urbana e a quatro da área rural.


Com juros de 0,5% ao mês e financiamento parcelado em até 36 vezes pelo Banco de Brasília (BRB), o programa é uma oportunidade para quem inicia um pequeno empreendimento ou deseja expandir um negócio. A comerciante de roupas íntimas Lanuce Camelo de Melo, de 38 anos, que vende as peças em Planaltina, participa pela primeira vez do Prospera DF e espera um bom retorno com o investimento: obteve R$ 5 mil financiados em dez parcelas. “Estou muito feliz com a taxa de juros e tenho esperança de multiplicar o negócio. Trabalho com vendas desde os 15 anos e é a primeira vez que consigo um empréstimo para poder melhorar o trabalho. Acredito que seja uma oportunidade de crescimento.”

Raimundo Angelino Silva, de 60 anos, vende doces em parceria com a esposa em Sobradinho e no Paranoá. É a 15ª vez que ele tem acesso a créditos oferecidos pelo governo. Agora conseguiu R$ 17,5 mil emprestados. “Para quem é autônomo significa uma grande ajuda. O prazo e os juros são justos, e muito do que construí ao longo dos anos foi devido a esse tipo de auxílio.”

Mercado formal e informal
O Prospera é um programa de microcrédito produtivo. Orientado pela Subsecretaria do Trabalho e do Empreendedorismo, tem o objetivo de fortalecer pequenos e microempreendimentos formais e informais das áreas urbanas e rurais.

Para o secretário-adjunto do Trabalho, Thiago Jarjour, o projeto é fundamental para o crescimento do empreendedorismo no DF. “Com esse dinheiro, os microempreendedores movimentam o mercado e criam empregos, e o dinheiro emprestado acaba retornando para o governo”, analisa. “A eficácia do programa é tanta que a inadimplência é menor que 2%, e a maior parte dos que conseguiram algum tipo de crédito acaba tentando novos empréstimos.”

Este é o primeiro lote de 2016 e, segundo a secretaria, a meta é emprestar cerca de R$ 8 milhões até o fim do ano. Em 2015, o programa somou R$ 3.057.453,29 divididos em sete lotes. As mulheres foram as que mais obtiveram financiamento (60%). Foram fechados 149 contratos com elas, contra 99 com homens. Os recursos foram distribuídos da seguinte maneira: comércio (55%), agricultura (24%), serviços (8%), indústria (7%), pecuária (4%) e artesanato (2%).

Os interessados devem procurar as agências do microcrédito, nas Agências do Trabalhador do Plano Piloto e de Taguatinga. É preciso levar documentação do empreendimento e comprovar a atividade desenvolvida. O atendimento funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 horas e das 14 às 18 horas.
Agências de microcrédito
Em Brasília
SCS Quadra 6, Lotes 10/11, sobreloja, agência do trabalhador, Plano Piloto
Mais informações: (61) 3255-3787 / 3255-3789

Em Taguatinga
Quadra C 4, Lote 3, 3º andar, agência do trabalhador, Avenida das Palmeiras, Taguatinga Centro
Mais informações: (61) 3255-3790 / 3255-3791

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000