Pular para o conteúdo principal

Notícias do Planalto Central

Opinião

A Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou projeto de lei do Executivo que fixa o Orçamento do Distrito Federal para 2016 em R$ 41,11 bilhões. infelizmente levam até o último dia para aprovar, ontem 16/12. O que indica para uma possível barganha política, pobre de nós eleitores.

Isso não significa muita coisa se esse valor não for direcionado em sua integralidade em beneficio do cidadão. Tão lógico para quem ler, tão superficial para quem é da critíca, mas tão distante para quem o manipula.

Antes disso tudo houve a manobra, vitoriosa, diga-se de passagem nojenta, da presidente da Casa para permanecer no cargo. Ela como tantos que a seguem deveriam ter vergonha, pois falam em "oxigenar" os cargos de liderança do poder público em discursos a favor do rodizio (antes é claro de se beneficiar do posto) e sem falar no escândalos em que se meteu. Talvez ela agora exerça e calce "as sandálias da humildade" e passe a exigir cargos no governo, cargos que menosprezou diante de oposição com visibilidade. Acompanhemos com lupa.


Hamilton Silva: Economista e Blogueiro
Joe Valle volta pra Câmara Legislativa e torna a voltar para a Secretaria do Trabalho pra poder manobrar e aprovar emendas de "seus" interesses. Volta e viravolta típico de quem não tem opinião. Aliás tem sim, o "melhor" pra mim e meus aliados.

Senador Hélio muda de partido e nada muda nada na essência. Meu ceticismo é grande.

O Secretário de Saúde conseguiu sair, um pouco, do foco das criticas, mas o nosso principal problema público não foi resolvido, seja pela falta de assistência do poder público federal seja pela incompetência do setor público local.

O conflito maior do governador Rollemberg é com os servidores que não foi pacificado pelas greves e ações judiciais. O governador parecia perdido, parecia. depois de algumas informações sobre arrecadação e economia no âmbito do planejamento e fazenda o prazo infernal de outubro/16 parece não muito distante diante das reais dificuldades para se cumprir a "promessa".

Enfim, nem vou falar sobre as eleições para administrações regionais, A redução de 20% nos salários do primeiro escalão do governo do Distrito Federal que não vai sair do papel neste ano

"Quem vive de promessa é santo"

Categorias de servidores do GDF se perderam, também, na discussão diante de argumento tão pesado como o "estouro" da LRF. Não concluíram seus projetos de manter o poder de compra dos vencimentos e se viram prejudicados com a crise nacional. Crise que não é só política. Só faltaram dar razão e gerar justificativas ao governador.

O que nos leva a  conclusão que o país está inerte e perplexo diante de tantas indefinições. Acredite amigo, Brasília é a Capital da Esperança.

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Bolsonaro ensaia ‘dobradinha’ com Ibaneis

  Foi hoje na posse do novo ministro Ciro Nogueira cacique do PP que Jair Bolsonaro disse:   “Dispenso comentários. Nós aqui somos um só governo. União e Distrito Federal é um casamento perfeito” , declarou Bolsonaro aos presentes na solenidade. O horizonte eleitoral é muito mais curto que os trezes meses até o pleito. Ibaneis Rocha (MDB) para governador e Jair Bolsonaro para presidência seria uma chapa imbatível no Distrito Federal. Ambos foram muito bem sucedidos em 2018  no quadrado do Planalto Central. Bolsonaro teve 69,99% cerca de 1.080.411 votos no segundo turno e Ibaneis Rocha recebeu 1.042.574 votos – o equivalente a 69,79% dos votos válidos. Bolsonaro é “raposa felpuda” com mais  de trinta anos de vivência  no Congresso Nacional e apesar de Ibaneis ter conquistado o seu primeiro mandato vem surpreendendo com quase 3 anos de uma gestão positiva ou do “bem”. O resultado eleitoral em 2018 jamais poderá ser ignorado sob pena de se repetir a derrocada de seus opositores. Opositore

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização