Raio X das Greves

Governador suspendeu reajustes alegando falta de dinheiro em caixa. Impacto com aumentos seria de R$ 400 milhões, informou Executivo.
Por Raquel Morais, do G1 DF – Desde que o governador Rodrigo Rollemberg anunciou a suspensão dos reajustes concedidos de forma escalonada em 2013, diversas categorias do funcionalismo público entraram em greve no Distrito Federal. A medida foi tomada sob a alegação de falta de dinheiro em caixa para os repasses. O impacto até o final do ano seria de R$ 400 milhões, de acordo com o Executivo.
AS GREVES DO FUNCIONALISMO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL
CATEGORIAINÍCIOADESÃOREAJUSTE PENDENTEOUTRAS REIVINDICAÇÕESIMPACTO NOS SERVIÇOSSITUAÇÃO JUDICIAL
Técnicos e auxiliares em enfermagem7 de outubro70% dos
14 mil servidores
6,95%Jornada de 20 h semanais, em vez das atuais 24 hExames, marcação de consultas e vacinação estão suspensosIlegal
Médicos8 de outubroSem estimativa. Rede pública tem 4,6 mil médicos.5%– Fiscalização de programas de residência
– Plano de carreira e de valorização
– Garantia de medicamentos e insumos
– Respeito à fila de transferência dos profissionais
– Pagamento de horas extras
Atendimentos ambulatoriais e cirurgias eletivas estão suspensosIlegal. Sindicato recorreu
Professores15 de outubro70% dos
33 mil servidores
3,5%– Pagamento integral do 13º de  novatos
– Respeito à jornada de trabalho
Aulas nas escolas públicas, técnicas, centros de línguas e Escola de Música estão suspensasIlegal
Agentes do DER8 de outubroNão informado6,77%Suspensão da reversão de faixas e de fiscalizações de trânsitoNão foi judicializada
Agentes do Detran27 de outubro100% dos 1,3 mil servidores5%– Pagamento no dia 30, em vez do 5º dia útil do mês
– Redução da jornada de trabalho de 40 h para 30 h
– Reforma e modernização de instalações
– Fornecimento de colestes balísticos para os agentes
– Reajuste na gratificação de titularidade
Vistoria de veículos, emissão de documentos, fiscalização de trânsito, apreensão e liberação de veículos, processos de obtenção de renovação de CNH e análise de recursos de multas estão suspensosNão foi judicializada
Metroviários3 de novembro75% de
1,2 mil
8,9%– Convocação dos aprovados no concurso de 2013
– Execução dos projetos de modernização do sistema
– Redução do número e valor de contratos de terceirização
Catracas foram liberadas e o número de trens em circulação diminuiu. O Metrô decidiu suspender todo o serviço, alegando falta de segurançaCategoria se reúne com direção da empresa para audiência de conciliação nesta quarta.
Na Hora8 de outubroSem estimativaEstão suspensas a emissão de carteiras de identidade, consultas a processos em 15 órgãos do GDF e emissão de 2ª via de contasNão foi judicializada
Ibram8 de outubroSem estimativa16,41%Estão fechados  10 dos 12 parques do DF. Apenas Águas Claras e Sudoeste permanecem em funcionamentoNão foi judicializada
Políticas Públicas e Gestão Governamental8 de outubroSem estimativa12,51%Estão suspensas as atividades meio nas administrações regionais e nas secretarias de Estado, como autorização para festas ou comércio em áreas públicasNão foi judicializada
Gestão de apoio à Polícia Civil8 de outubroSem estimativa12,01%Suspensas as atividades administrativas de suporte à corporaçãoNão foi judicializada
Músicos da Orquestra Sinfônica8 de outubroSem estimativa8,93%Não foi judicializada
Atividades culturais8 de outubroSem estimativa12,23%Estão suspensos trâmites na Secretaria de Cultura, como análise de projetosNão foi judicializada
Servidores da Novacap3 de
novembro
80% de
2,2 mil
– Pedem reposição inflacionária, que dizem ser de 10%. Não foram beneficiados em 2013 com o reajuste escalonadoEstão suspensas podas e recuperação de asfaltoNão foi judicializada

O governador chegou a apresentar um plano para pagamento dos reajustes a partir de outubro do ano que vem, que desagradou servidores. Parte só voltou ao trabalho depois de a Justiça decretar os atos ilegais, como agentes penitenciários, servidores do sistema socioeducativo e funcionários do Hemocentro.
A suspensão dos reajustes integra um pacote anticrise, que traz ainda aumento nas tarifas de ônibus e metrô, implantação de um plano de demissão voluntária nas empresas públicas, aumento de impostos e nos valores de entrada do zoológico e dos 13 restaurantes comunitários. O DF tem 141 mil servidores públicos.

Fonte: Blog do Callado
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial