Pular para o conteúdo principal

O silêncio de um falastrão

Opinião

Quem conhece a história, rica do ex-ministro José Dirceu, não se incomodou com a postura dele ao se esconder por detrás da orientação de seu advogado, a de ficar calado, pelo menos em parte já que quem cala consente e neste caso quem cala é culpado. Ora, tudo indica que o Titã do comunismo tupiniquim está se remoendo por dentro. Homem e dirigente partidário extremamente vaidoso no decorrer de sua história vive hoje um dilema: fica na história, não como um “revolucionário” que mudou o Brasil para melhor, como pregava em seus acalorados discursos de estudante na década de 60. 

O fato é que a casa caiu pra ele. E se vamos ver o seu poder ser dizimado, ainda não sabemos, pois afinal ele sabe muito e conduziu o Partido dos Trabalhadores num projeto de poder que se perpetua por quase duas décadas. 




Hamilton Silva: Blogueiro


Na verdade todos nós devíamos agradecer por seu silêncio, devíamos proibir de emitir sua opinião sobre o nosso tão amado Brasil, mas ele devia ser obrigado a falar tudo o que sabe, devia entregar toda a quadrilha que surrupiou nosso país. durante anos ouvimos muito desse senhor projetos de como desenvolver nossa sociedade, o sabe tudo, hoje não sabe nada.

Por muitos anos esse senhor influenciou e influencia alguns “borra botas” assentados no Congresso Nacional. Como já afirmei em outros textos, nosso problema não passa por uma ou outra personalidade da tão corrompida política. “Corrupção Sistêmica” termo utilizado para definir nossa atual conjuntura, o mais correto que já ouvi. Enraizada na personalidade e caráter de muitos brasileiros se sobrepõe à vontade da maioria honesta, trabalhadora e consciente do papel de cidadão.  

Toda via o problema não se desenvolve numa única personalidade ou sistema (político, econômico e social). Se desenvolveu numa sistemática implementada lá atrás, em nossa educação, na falta de moral dos responsáveis pela nossa educação, hoje chamados de gestores. Todos nós sobrevivemos até aqui. Achincalharam com nossas finanças públicas e destruíram boa parcela de nossa esperança. Mas não conseguiram apodrecer nossa indignação, não conseguiram romper com nossa vocação de ser Grande. Venceremos.

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000