Pular para o conteúdo principal

Foodtrucks recebem apoio do governo de Brasília

Quem ainda não conhece o termo foodtruck, está por fora das novidades gastronômicas. Brasília e suas regiões administrativas abraçaram a ideia de locais práticos, higiênicos e com uma estrutura agradável e econômica para refeições. Esses são os foodtrucks. Ambientes móveis com espaço para alimentação e lazer dos cidadãos. 

Preocupado com todos os setores envolvidos para o desenvolvimento da atividade, o governador Rodrigo Rollemberg solicitou a Subsecretaria de Empreendedorismo, a organização de um grupo de trabalho para catalogar os novos empresários do mercado gastronômico e pontuar a melhor maneira de funcionamento, dentre outras questões a serem discutidas com os segmentos envolvidos. O subsecretário Thiago Jarbour aceitou o desafio e encontrou parceiros para elaborar um documento para os foodtrucks.
 

 



 Na tarde desta segunda-feira(6), os administradores regionais estiveram em reunião com o grupo de trabalho e manifestaram apoio a todo projeto que viabilize a atividade de forma ordeira. Entre os integrantes do grupo estão a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes DF (Abrasel) e o Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar). As entidades avaliaram que a regulamentação dos foodtrucks, desenvolvida pelos órgãos do Governo de Brasília, seria um entendimento entre os proprietários do empreendimento móvel e a sociedade, sem invadir o espaço dos bares e restaurantes.
 

O administrador regional de Sobradinho, Divino Sales, participou da reunião e é um entusiasta da iniciativa. "Queremos que os foodtrucks em Sobradinho estejam alinhados com as sugestões do documento elaborado por este grupo de trabalho”. 

Ascom: Sobradinho

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000