Pular para o conteúdo principal

A presença feminina na política



A presença feminina na política
Por Luzia de Paula
No próximo domingo (8) comemoramos o Dia Internacional da Mulher. A data de 8 de março é associada a um fato histórico que teria dado origem à comemoração, que foi um incêndio onde dezenas de mulheres foram mortas numa fábrica têxtil e ocorreu em Nova York. Na ocasião as mulheres lutavam por melhorias no ambiente de trabalho e apesar de algumas conquistas vemos que as mulheres continuam lutando pelos mesmos motivos, ano após ano. As desigualdades no mercado de trabalho, nas famílias e em outras esferas sociais ainda hoje estão presentes.
Na política a grande barreira para a participação das mulheres é a própria estrutura partidária. Os partidos não garantem condições para as mulheres concorrerem em pé de igualdade com os homens.
Os principais motivos para as mulheres não se candidatarem são: a falta de apoio dos partidos políticos, a falta de interesse por política, a dificuldade de concorrer com os homens, além da falta de apoio familiar.
O fato dos brasileiros já terem eleito uma mulher para Presidência da República fortaleceu a participação feminina na política nacional, o que influência o eleitorado a escolher mais mulheres. O eleitorado está disposto a votar em mais mulheres e não considera o sexo do candidato na hora de optar pelo voto.
A eleição de 2014 foi a primeira que a cota feminina de 30% foi cumprida por todos os partidos, chegando a 31%. Para isso foi necessário uma resolução do Tribunal Superior Eleitoral que permitisse que fosse negado o registro da chapa que estivesse fora da regra.
É necessário que o Ministério Público Federal fiscalize as campanhas e evite o que considero ser "candidaturas-laranja", que apenas inclui as mulheres para ficar dentro da lei, sem dar estrutura para competir realmente.
Somos mais de 50% da população e do eleitorado, respondemos por mais de 45% da produção deste país e pelo sustento de 1/3 das famílias, mas todo esse protagonismo não reflete na nossa representação política. O problema tem sua raiz na discriminação que as brasileiras sempre sofreram em todo processo histórico.
Uma das etapas para vencer este preconceito seria uma maior inserção das mulheres na propaganda partidária que os partidos políticos têm direito. Isso não mudará da noite para o dia, pois é um processo de longo prazo, onde os percentuais de recursos e de tempo de propaganda previstos devem ser melhor distribuídos entre homens e mulheres.
A minirreforma eleitoral de 2009 ainda incluiu que a propaganda dos partidos deve difundir a participação feminina na política. O tempo mínimo obrigatório para isso é de 10% do total reservado a cada legenda que fica abaixo dos 30% exigidos nas candidaturas e dos mais de 50% que é a estatística feminina no pais. O que só comprova toda essa desigualdade.
O maior reconhecimento e a melhor homenagem são o respeito e o amor diário. O dia 8 de março serve para comemorar, para relembrar e principalmente para nos conscientizar a continuar lutando por melhores espaços na sociedade.

Postagens mais visitadas deste blog

Notícias do Planalto Central

Simbologia  A imagem (foto) marcante e mais simbólica da semana foi sem dúvida nenhuma a do governador Ibaneis Rocha na Ceilândia cercado de políticos "peso pesados" da Capital. Ladeado de Flávia Arruda (PL) o encontro sinaliza para uma aliança sólida neste ano de 2022.  'Puliça' O encontro de Ibaneis foi no reduto mais cobiçado da Capital, a Ceilândia (maior colégio eleitoral do DF), onde a foto fala mais do que qualquer palavra. O anfitrião,   o delegado Fernando Fernandes estava com sorriso de orelha a orelha com apoio e prestígio. O delegado deverá se filiar ao partido Republicanos com a benção de Ibaneis.  Volta à Cena O empresário e ex-senador  Luiz Estevão que agora goza de liberdade volta aos pouquinhos à cena política e parece já influenciar definitivamente alguns poucos  políticos da Capital, principalmente os distritais. Luiz tem política nas veias e participou discretamente de algumas "confras" ao lado da esposa Cleucy.   Decisão Fraga erra na tá

Coluna: Notícias do Planalto Central

Ex-governador Rollemberg Marketing reverso Na última semana de 2021, antes de assumir sua candidatura a deputado federal o ex-governador Rodrigo Rollemberg publicou um vídeo em que dizia do quanto dá trabalho cuidar das suas bezerrinhas. Fico imaginando o quanto é trabalhoso cuidar do seu curral eleitoral . Em tempo: no vídeo o político aparece todo sujo de esterco. Carnaval Atendendo a oração de muitos e mais ainda ao avanço de uma outra onda do vírus chinês o governador Ibaneis Rocha(MDB) cancelou o Carnaval de rua no DF. Ontem o vice Paco Britto anunciou não descartar um novo lockdown. "Saúde acima de tudo!"   Evangélicos Viver um paradoxo real é também ato de fé, na proporção em que a falta de Carnaval faz mal ao comércio e ao turismo da cidade, a pandemia do vírus chinês também faz mal à população deixando um rastro de pobreza (desemprego) e morte . O discurso dos evangélicos com referência ao fechamento das igrejas precisa encontrar um ponto de convergência ou

Coluna: Noticias do Planalto Central

Recesso Depois de duas semanas de folga a coluna Notícias do Planalto Central volta no mesmo ritmo da Câmara Legislativa: com muita leitura e atento aos movimentos dos deputados. Assim como muitos deles sedento por informações, já que estão com a boca fechada e não abrem por nada. Nesta fase de negociações os segredos devem ser preservados.  Busca por um partido Nesta toada de observações muitos distritais estão desesperados por um "lugar ao sol". Explico: Muitos dos que hoje são deputados não o serão no próximo verão. Mas não é só por causa das novas regras, a tal clausula de barreira e sim porque muitos dos excelentíssimos deixaram a desejar e são muitos ruins mesmo.  Mulheres Este colunista discorreu a relevância das mulheres nas próximas eleições e destaquei aquelas que irão concorrer à uma vaga de deputada federal. Leia lá .  O jogo muda completamente quando falamos das mulheres na Câmara Legislativa do DF. As distritais que hoje ocupam duas cadeiras poderão ficar ainda