Pular para o conteúdo principal

Resposta ao Chico Vigilante



Os vídeos do deputado distrital Chico Vigilante têm causado polêmica em todas as redes sociais. No nosso blog quando postamos algo a respeito do parlamentar críticas e apoios vem de todo lado. Um leitor que pediu anonimato nos enviou uma carta rebatendo Chico Vigilante. Depois de uma criteriosa avaliação decidimos postar o teor desta carta. O autor vai assinar como “True”. Confira.

Carta aberta

"O deputado Chico Vigilante (PT-DF), ao afirmar que o GDF teria R$ 1 bilhão em caixa, dá mais uma prova que não sabe o que diz. Essa fala, baseada numa falsa interpretação dos dados constantes no Sistema Integrada de Gestão Governamental do DF (SIGGO), é típica da ignorância dos que não compreendem a diferença entre "crédito orçamentário" e "disponibilidade financeira".

O crédito orçamentário é a autorização legislativa para que o gestor governamental realize a despesa, assume o compromisso financeiro em nome da administração pública, o que não se confunde com o conceito de disponibilidade financeira, ou seja, o dinheiro em caixa propriamente dita.

Assim, quando os aliados do governador Agnelo Queiroz afirmavam que "a Câmara está mandando dinheiro pro executivo resolver a situação", o que estava acontecendo, de fato, era que aquela base parlamentar construída através da troca de cargos por apoio incondicional, estava concedendo a autorização legislativa para ampliar ainda mais as despesas, que elevou o déficit que hoje beira os R$ 4 bilhões.

A Câmara Legislativa não fabrica dinheiro, deputado Chico Vigilante, e esse discurso mentiroso do senhor e de seus aliados em nada conseguem desmentir o fato de que o governo do seu partido e de seus aliados levaram o GDF à bancarrota, deixando uma herança mais que maldita para a toda a sociedade brasiliense."


Blog do Odir

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000