Pular para o conteúdo principal

Polícia Militar (DF) gasta R$ 157,9 mil em ração para cães

Os cães da Polícia Militar do Distrito Federal devem ser bem alimentados em 2015. Cerca de R$ 157,9 mil estão registrados nas contas da PM para a aquisição de 17.600 pacotes de ração para cães filhotes e adultos. A preferência dos animais, ao que parece, é de ração de frango e da marca Premier.

Naturalmente, em um início de ano, algumas compras de reposição e de melhoria do ambiente de trabalho são feitas. Esta semana os gastos começam com uma compra do Gabinete da Vice-Presidência da República de R$ 8 mil em artigos de banho e roupas de cama para o Palácio do Jaburu, em Brasília.
Estão inclusos na compra dez jogos de banho, dez toalhas, 19 jogos de cama dos tipos Queen, King e solteiro e oito mantas, sendo seis de solteiro e duas de tamanho King. O Palácio do Jaburu foi projetado por Oscar Niemeyer para ser a residência oficial do vice-presidente da República e é usado exclusivamente para moradia.


A Secretaria do Superior Tribunal de Justiça também comprará mobília para a Corte. Duas poltronas fixas para pessoas com sobrepeso que devem custar um total de R$ 5,6 mil, e 40 frigobares para escritório por R$ 27,6 mil estão no carrinho do órgão. As cadeiras terão braços, assentos e encostos em madeira maciça, todos com estofamento e a base com tubo de aço.

A Câmara dos Deputados viu necessidade em adquirir 36 notebooks “all in one”, com tela sensível ao toque para “facilitar o registro biométrico de presença e de votação, de forma rotativa nas comissões da Câmara”. Para tanto, empenhou (reservou em orçamento) R$ 119 mil nos computadores da marca Dell Optilex 3030.

Já o Superior Tribunal Militar está começando o ano com a aquisição de itens menores, do dia a dia, como 45 porta-canetas e 1.500 calendários de mesa por R$ 6,7 mil. Os porta-canetas serão em couro marrom, com detalhes personalizados e direito à espaço para bloco de notas de 100 folhas.

Compra de veículos

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) comprará quatro furgões e 50 veículos do tipo Sedan por R$ 3,6 milhões. Os carros servirão para necessidades gerais internas. De acordo com o órgão são frequentes os problemas com deslocamentos de passageiros e de materiais.
Já o Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região adquirirá quatro carros do tipo Doblô, cargo 1.8 16V Flex, da Fiat e na cor branca ao custo de R$ 225 mil. Cada veículo custará unitariamente cerca de R$ 56,3 mil.

Outro com a compra da mesma quantidade de veículos automotores é o Ministério Público. Serão viaturas para o transporte de pessoal, da Chevrolet, no modelo Spin e com capacidade de sete passageiros. Ao todo, a compra sairá um pouco mais barata que a dos Doblôs, por R$ 223,6 mil.



*Vale ressaltar que, a princípio, não existe nenhuma ilegalidade nem irregularidade neste tipo de gasto feito pela União e que o eventual cancelamento de tais empenhos certamente não ajudaria, por exemplo, na manutenção do superávit do governo ou em uma redução significativa de despesas. A intenção de publicar essas aquisições é popularizar a discussão em torno dos gastos públicos junto ao cidadão comum, no intuito de aumentar a transparência e o controle social, além de mostrar que a Administração Pública também possui, além de contas complexas, despesas curiosas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000