Pular para o conteúdo principal

PIB dos EUA cresce mais que o previsto no terceiro trimestre

A economia dos Estados Unidos cresceu mais do que o previsto no terceiro trimestre, contabilizando o semestre mais forte em mais de uma década. O aumento nos gastos do governo e a queda no déficit comercial compensaram o abrandamento das despesas das famílias.

O Produto Interno Bruto aumentou a uma taxa anualizada de 3,5% nos três meses encerrados em setembro, após um ganho de 4,6% no segundo trimestre, informou o Departamento de Comércio do governo americano. Foi o maior crescimento semestral desde os seis últimos meses de 2003. A mediana das previsões de 87 economistas consultados pela Bloomberg apontava para um avanço de 3% no terceiro trimestre.

A produção crescente de petróleo diminui as importações e contribui para a melhora da indústria de transformação, permitindo que a economia supere a desaceleração do crescimento nos mercados externos, da Europa à China. Ao mesmo tempo, a recuperação do nível de emprego e a gasolina mais barata dão aos consumidores americanos a confiança e os meios para gastar mais, iluminando as perspectivas para a temporada de compras natalinas. Esse quadro ajuda a explicar por que o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) encerrou ontem o seu programa de estímulo à economia por meio da compra de títulos públicos e lastreados em hipotecas.

As estimativas de crescimento coletadas pela Bloomberg variaram de 2,1% a 4%. A divulgação de hoje é a primeira de três para o trimestre. As outras medições sairão em novembro e dezembro, quando houver mais informações disponíveis.

Os gastos dos consumidores, que respondem por quase 70% do PIB, subiram a um ritmo de 1,8% no terceiro trimestre, depois de crescer a uma taxa de 2,5% nos três meses anteriores. Assim, o consumo contribuiu com 1,2 ponto percentual para a taxa de crescimento do PIB trimestral. 

Melhorar a confiança do consumidor pode ajudar a sustentar a maior parte da economia neste trimestre. O índice de confiança medido pelo instituto Conference Board saltou em outubro para o maior patamar em sete anos.

(Bloomberg)


,

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Bolsonaro ensaia ‘dobradinha’ com Ibaneis

  Foi hoje na posse do novo ministro Ciro Nogueira cacique do PP que Jair Bolsonaro disse:   “Dispenso comentários. Nós aqui somos um só governo. União e Distrito Federal é um casamento perfeito” , declarou Bolsonaro aos presentes na solenidade. O horizonte eleitoral é muito mais curto que os trezes meses até o pleito. Ibaneis Rocha (MDB) para governador e Jair Bolsonaro para presidência seria uma chapa imbatível no Distrito Federal. Ambos foram muito bem sucedidos em 2018  no quadrado do Planalto Central. Bolsonaro teve 69,99% cerca de 1.080.411 votos no segundo turno e Ibaneis Rocha recebeu 1.042.574 votos – o equivalente a 69,79% dos votos válidos. Bolsonaro é “raposa felpuda” com mais  de trinta anos de vivência  no Congresso Nacional e apesar de Ibaneis ter conquistado o seu primeiro mandato vem surpreendendo com quase 3 anos de uma gestão positiva ou do “bem”. O resultado eleitoral em 2018 jamais poderá ser ignorado sob pena de se repetir a derrocada de seus opositores. Opositore

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização