Pular para o conteúdo principal

O fantasma da bolha imobiliária


Estão muito caros? Vendas de imóveis novos em SP caem 36,5% em maio
Em maio, foram vendidas 2.080 unidades, contra 3.278 no mesmo mês de 2013

As vendas de imóveis novos residenciais na cidade de São Paulo despencaram no quinto mês de 2014, contra o mesmo período do ano anterior. Em maio, foram vendidas 2.080 unidades, ante 3.278 imóveis - uma queda de 36,5% em um ano.

O resultado de maio, divulgado pelo Secovi-SP (Sindicado da Habitação), também foi 3,1% inferior ao de abril, mês em que 2.147 imóveis novos foram vendidos na Capital.

Já o VGV (Valor Geral de Vendas) de maio foi de R$ 1,35 bilhão, montante 0,6% superior ao de abril, corrigido pelo INCC-DI.

Na contramão da baixa nas vendas, as unidades lançadas no mês tiveram uma variação positiva de 13%: 2.681 unidades em 2014 contra 2.372 em 2013. Ante abril, os lançamentos aumentaram 13,7%, de acordo com dados da Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio).

O resultado acumulado do ano também não foi animador. Nos primeiros cinco meses do ano, as vendas acumuladas de 7.982 unidades foram 41,4% inferiores ao mesmo período de 2013, com 13.628 comercializações. Os lançamentos de 8.947 unidades de janeiro a maio deste ano foram 14,0% menores diante das 10.409 unidades lançadas no mesmo período do ano passado.


Os preferidos
Segundo o Secovi-SP, o segmento de dois dormitórios respondeu por 71,9% das vendas do mês, com 1.496 unidades escoadas. Estes imóveis também lideraram as unidades lançadas, representando 54,6% dos lançamentos, com 1.464 unidades.

Aproximadamente 76,3% das unidades vendidas no mês foram de lançamentos realizados nos últimos seis meses

Vamos aguardar mais números nas próximas semanas.
Aproveite e compartilhe esse texto.


Fonte:ADFVN


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

BRASIL É SEXTA ECONOMIA

  A Crise ajuda o Brasil EUA, China, Japão, Alemanha, França, Brasil essa é a nova ordem. Afirma o Centro de Pesquisa de Economia e Negócios do Reino Unido (CEBER, sigla em inglês). A China deverá crescer 7,6% e a Índia deverá crescer 6% o Brasil, segundo autoridades brasileiras deverá crescer em torno dos 3,5% se consolidando como a sexta economia mundial. O Reino Unido só não vai ficar mais desesperado porque a França indica um queda significativa para os próxmios anos. PIB de 2,5 trilhões de dólares A soma de todos os bens e serviços (Produto Interno Bruto-PIB) se mantem entre os maiores mundiais, o contraponto é justamente aquele que o Partido dos Trabalhadores sempre usou como principal bandeira, o social, que precisará de muita atenção da chefe do executivo. Com a decisão de elevar o salário mínimo para R$ 622,00 fará com que se  tenha uma acréscimo de 0,4 pontos percentuais no PIB de 2012. Fato muito importante para a manutenção da política econômica. A indústria