O ano de 2014 começou

Começou muito quente esse ano que promete ficar na história.
Os 20 (vinte) primeiros dias do ano se resumiram a expectativas, mas os fatos dessas últimas semanas tiveram uma intensidade diferente.

Economia: Além da reunião do COPOM que alterou a taxa Selic as notícias referentes a reajustes no combustível marcou e polemizou com grande jornal. Foi esdruxula a resposta do governo.
Além da anuidade dos cartões de crédito e da elevação do IPI dos automóveis a palavra "subida" foi a mais utilizadas nesses dias.  

Esporte: A vitória de Cristiano Ronaldo marcou esse início de ano e a copinha fez valer o nome. 

Política: A eleição começou e os gastos com a máquina pública permanecem altos. O oposição continua se fazendo de "agente secreto" AFF.

Ah  e não adianta falar que os 'rolezinhos' são atitudes de revolta política porque não são.
Esses movimentos serão encarados, no futuro, como embrião de outros movimentos sociais ocasionados pelo capitalismo moderno e que os antropológos terão como papel identificar.

Me recuso a fazer comentários sobre as tragédias causadas pelas chuvas. 

Enfim o ano de 2014 vai entrar para história quer queiram quer não.


Postar um comentário
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial