Pular para o conteúdo principal

Um mundo de impostos

Governo arrecada cerca de R$ 54 mil por segundo em impostos

  
Por volta do meio-dia e meia desta terça-feira, dia 27, o Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) atingirá a marca de 1 trilhão de reais. Esse é o total de impostos, taxas e contribuições arrecadados pelos governos estaduais, municipais e federal no Brasil até agora em 2013.
A média diária de arrecadação foi de R$ 4,72 bilhões, ou R$ 54.633,48 por segundo. O montante foi atingido dois dias antes do que em 2012 e deve chegar a R$ 1,62 trilhão até o fim do ano.
Quem liderou a arrecadação foi a região Sudeste, com 63,52% do valor, seguida da região Sul, com 13,41%. Em seguida vem o Centro-Oeste com 10,61% e o Nordeste com 9,07%. A região Norte do país responde por 3,39% dos impostos.
O imposto mais importante foi o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), responsável por 20,66% da arrecadação, seguido de perto pela contribuição previdenciária para o INSS, com 18,02%. Em seguida vem o Imposto de Renda, com 17,7%, e o COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social), responsável por 10,84% do total.
Histórico
Desde 2005, quando foi inaugurado, o Impostômetro informa a quantidade de impostos arrecadados através de um site e de um painel na Rua Boa Vista, 51, em São Paulo. Neste ano, a ACSP pretende fazer um ato no local para divulgar um estudo feito pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), responsável por compilar os dados da contagem.
A Associação também pretende lembrar a população da Lei número 12.741/2012, apelidade de De Olho no Imposto, que obriga estabelecimentos a discriminar na nota fiscal o valor em tributos dos produtos. Ela entrou em vigor em 10 de junho, mas o governo prorrogou em um ano o início das sanções para dar ao comércio mais tempo para se adaptar.
Exame

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Notícias do Planalto Central

Simbologia  A imagem (foto) marcante e mais simbólica da semana foi sem dúvida nenhuma a do governador Ibaneis Rocha na Ceilândia cercado de políticos "peso pesados" da Capital. Ladeado de Flávia Arruda (PL) o encontro sinaliza para uma aliança sólida neste ano de 2022.  'Puliça' O encontro de Ibaneis foi no reduto mais cobiçado da Capital, a Ceilândia (maior colégio eleitoral do DF), onde a foto fala mais do que qualquer palavra. O anfitrião,   o delegado Fernando Fernandes estava com sorriso de orelha a orelha com apoio e prestígio. O delegado deverá se filiar ao partido Republicanos com a benção de Ibaneis.  Volta à Cena O empresário e ex-senador  Luiz Estevão que agora goza de liberdade volta aos pouquinhos à cena política e parece já influenciar definitivamente alguns poucos  políticos da Capital, principalmente os distritais. Luiz tem política nas veias e participou discretamente de algumas "confras" ao lado da esposa Cleucy.   Decisão Fraga erra na tá

Coluna: Notícias do Planalto Central

Ex-governador Rollemberg Marketing reverso Na última semana de 2021, antes de assumir sua candidatura a deputado federal o ex-governador Rodrigo Rollemberg publicou um vídeo em que dizia do quanto dá trabalho cuidar das suas bezerrinhas. Fico imaginando o quanto é trabalhoso cuidar do seu curral eleitoral . Em tempo: no vídeo o político aparece todo sujo de esterco. Carnaval Atendendo a oração de muitos e mais ainda ao avanço de uma outra onda do vírus chinês o governador Ibaneis Rocha(MDB) cancelou o Carnaval de rua no DF. Ontem o vice Paco Britto anunciou não descartar um novo lockdown. "Saúde acima de tudo!"   Evangélicos Viver um paradoxo real é também ato de fé, na proporção em que a falta de Carnaval faz mal ao comércio e ao turismo da cidade, a pandemia do vírus chinês também faz mal à população deixando um rastro de pobreza (desemprego) e morte . O discurso dos evangélicos com referência ao fechamento das igrejas precisa encontrar um ponto de convergência ou

Coluna: Noticias do Planalto Central

Recesso Depois de duas semanas de folga a coluna Notícias do Planalto Central volta no mesmo ritmo da Câmara Legislativa: com muita leitura e atento aos movimentos dos deputados. Assim como muitos deles sedento por informações, já que estão com a boca fechada e não abrem por nada. Nesta fase de negociações os segredos devem ser preservados.  Busca por um partido Nesta toada de observações muitos distritais estão desesperados por um "lugar ao sol". Explico: Muitos dos que hoje são deputados não o serão no próximo verão. Mas não é só por causa das novas regras, a tal clausula de barreira e sim porque muitos dos excelentíssimos deixaram a desejar e são muitos ruins mesmo.  Mulheres Este colunista discorreu a relevância das mulheres nas próximas eleições e destaquei aquelas que irão concorrer à uma vaga de deputada federal. Leia lá .  O jogo muda completamente quando falamos das mulheres na Câmara Legislativa do DF. As distritais que hoje ocupam duas cadeiras poderão ficar ainda